Início Arquivo

Retalho em crescimento

Com a apresentação dos resultados nas cadeias de retalho que vão da Target à JC Penney e Abercrombie & Fitch, os analistas esperam que as vendas para o mesmo número de lojas subam 1,7% em Abril, contrastando com a queda de 2,7% registada no ano passado, segundo dados da Thomson Reuters. Este desempenho surge após um crescimento recorde de 9,1% em Março, quando os consumidores aumentaram as compras da Primavera devido a um período pascal que ocorreu mais cedo. Muitos especialistas da indústria estão a olhar para os resultados combinados de dois meses, como um melhor indicador da força do consumidor. Um aumento em Abril marcará o oitavo mês consecutivo de crescimento nas vendas após um ano de queda, à medida que os consumidores se preparam para gastos com produtos supérfluos e os retalhistas desenvolvem novas estratégias para atrair clientes. «Os consumidores parecem estar a acordar. Muitos dos que passaram 2009 a adiar as compras, estão agora a sair dos seus casulos e a gastar», afirmou Lawrence Creatura, gerente de portfólio na Federated Clover Investment Advisors, em Nova Iorque. Os estabelecimentos de retalho também estão a acordar para as oportunidades, procurando uma melhor oferta com a renovação das tendências. «Há razões para recarregar o guarda-roupa», revelou Creatura. Os analistas esperam que as vendas no mesmo número de lojas no período combinado de Março a Abril subam 5,4% a partir de um ganho de 4% em Fevereiro e um aumento de 3,3% em Janeiro. «O retalho é contagioso para o consumidor. Se começarem a gastar, vão continuar a gastar. Nada aconteceu de realmente tão negativo em Abril para que o consumidor desapareça», explicou Marshal Cohen, analista do NPD Group. Cohen referiu que, no entanto, Abril pode ser desigual para os retalhistas, com uns a desfrutar do efeito de arrastamento de Março, enquanto que outros não vão assistir ao regresso dos clientes após o feriado pascal. Ao contrário de Abril de 2009, que foi um dos mais chuvosos nos últimos quatro anos, este ano foi relativamente seco e quente, especialmente nas duas primeiras semanas, de acordo com Evan Gold na Planalytics, que fornece dados meteorológicos para as empresas. Os analistas estão a prever um crescimento mais lento nas vendas em cadeias de vestuário para adolescentes, que incluem retalhistas como Hot Topic e American Eagle Outfitters, em comparação com Março. «Algumas lojas saíram-se muito bem. O consumidor gasta muito e depois precisa de recuperar o fôlego», revelou Cohen, referindo-se ao segmento dos adolescentes. Betty Chen, analista da Wedbush, espera que retalhistas de vestuário como Gap e Urban Outfitters superem o segmento de adolescentes, à medida que beneficiam da procura reprimida. Os retalhistas de calçado e acessórios também estão preparados para beneficiar de uma mudança de estação, novos produtos e alterações na moda, segundo os analistas. Chen espera que a Aeropostale e a Gymboree aumentem as suas perspectivas e a Gap emita uma previsão melhor que o esperado. Os norte-americanos vão provavelmente também aumentar os gastos nas suas casas com enfeites de jardim e até tirar proveito dos descontos previstos nos impostos para substituir velhos electrodomésticos.