Início Arquivo

Retalho em Espanha ao rubro – Parte 1

A saturação do mercado doméstico, em conjugação com a incapacidade de competir em termos de preços com o vestuário oriundo da Ásia, está a forçar os grandes retalhistas de Espanha, como a Inditex e a Mango a apostarem crescimento dos seus negócios nos mercados internacionais. Esta feroz concorrência entre os gigantes do retalho espanhol, liderado pela Inditex e pela Mango, para assegurar os melhores espaços e posições comerciais nas principais cidades do país vizinho, assemelha-se com uma batalha levada a cabo por dois exércitos, rua a rua e casa a casa, para conquistar o controle dessas cidades. No entanto, esta parece ser a opção certa, tendo em conta os resultados divulgados recentemente pela Inditex, que revelaram lucros na ordem dos 146,1 milhões de euros, entre Fevereiro e Julho do corrente ano, ou seja, mais 21% do que no mesmo período de 2002. Para este resultado contribuiu fortemente o acentuado crescimento das vendas da Zara, que aumentaram 14%, para os 1,407 milhões de euros. A par destes resultados, a última aposta da Inditex, uma nova linha de têxteis para o lar apelidada Zara Home, foi igualmente bem recebida pelos seus clientes, a ponto de levar a empresa a planear expandir as respectivas lojas para as 300 a 360. Um bom exemplo desta autêntica guerra no retalho espanhol está patente na abertura de novos espaços comerciais nas ruas mais importantes de cidades como Barcelona, onde algumas das maiores marcas internacionais de vestuário se instalaram, nos últimos anos. A Adolfo Domínguez, por exemplo, anunciou recentemente a inauguração de uma nova loja, situada em pleno centro da referida cidade, e pouco depois da Inditex revelar a abertura de dois novos pontos de venda nas proximidades. Alias, casos semelhantes estão a acontecer um pouco por toda a Espanha. Em Madrid, a H&M comprou o espaço onde se situava a Sepu, a última das grandes lojas espanholas, situada na mítica Gran Vía. Este negócio foi um importante passo para a cadeia sueca, uma vez que os 4.600 m2 da loja em questão eram avidamente disputados pelos grandes retalhistas espanhóis, visto estarem localizados em plena baixa da capital espanhola. No norte de Espanha, o director comercial do centro comercial Zubiarte, informou que as várias marcas do grupo Inditex ocuparão grande parte do espaço no novo espaço que está a ser construído em Bilbao. Na mesma região, o El Corte Inglés anunciou que pretende assumir uma posição de destaque no centro comercial previsto para a localidade de Eibar, ocupando uma área de 5.000 m2 no shopping propriedade da Alfa, uma empresa fabricante de máquinas de costura industriais. Em Huelva, no sudoeste de Espanha, a Inditex já reservou 25% do espaço do novo centro comercial Aqualon Puerto, numa área total de 4.000 m2, e pela primeira vez todas as marcas deste grupo – Zara, Pull & Bear, Massimo Dutti, Bershka, Stradivarius, Oysho e Zara Home – estarão reunidas no mesmo espaço. Em Setembro passado, a Inditex abriu uma nova loja Zara em Estocolmo, como parte da sua expansão para o norte da Europa, reforçando assim a presença do grupo, que conta, desde há oito anos, com lojas da Massimo Dutti na Suécia e Noruega, e da Zara na Dinamarca, Finlândia e Islândia. Em 2003, este grupo avançou para países como a Rússia, Malásia e Eslovénia, além de uma nova loja, mesmo em frente ao Harrod’s, em pleno centro de Londres. Por sua vez, a Mango, abriu, em Outubro, a sua primeira loja em Milão, na conhecida Via Torino, com uma área de 725 m2. Esta cadeia prevê atingir os 1.000 pontos de venda nos próximos cinco anos, uma vez que actualmente possui 766, 200 dos quais em Espanha.