Início Arquivo

Retalho expande no Peru

O Peru está a atrair investimentos de, pelo menos, mil milhões de dólares para a abertura de 10 novos centros comerciais que estão previstos para os próximos três anos. Lima, a capital, possui uma penetração estimada de mercado de apenas 30% em comparação com os 80% registados em São Paulo ou Santiago do Chile. Existem actualmente apenas 40 centros comerciais no Peru, metade dos quais construídos nos últimos cinco anos, período em que a economia cresceu a uma média de 7% ao ano. Este número deixa espaço para a entrada em cena de novos actores, bem como para a expansão das empresas chilenas, como a Cencosud, Falabella e Ripley, que dominam o mercado. A cadeia de moda Zara, do grupo têxtil espanhol Inditex, planeia abrir um ponto de venda em Lima até o final do ano, segundo revelou a imprensa local, enquanto Falabella anunciou a intenção investir 200 milhões de dólares até 2012 para abrir cinco novos espaços comerciais. Os empréstimos ao consumidor têm crescido na última década à medida que os bancos, cada vez melhor capitalizados, expandem as suas carteiras de crédito. As vendas nos centros comerciais peruanos cresceram 25% para os 4,2 mil milhões de USD este ano e deverão subir mais 10% em 2012, segundo a Asociación de Centro Comerciales del Perú (ACCEP). Ao longo dos últimos anos tem sido registada uma mudança drástica dos padrões de consumo no país andino. Nos últimos seis anos, o número de domicílios classificados como de alto rendimento em Lima cresceu dos 16,9% para os 22,9%. Por seu turno, o número de casas consideradas de baixo rendimento caiu dos 54,5% para os 44%, de acordo com a ACCEP. «Existe uma transição em curso do nível socioeconómico, a classe média cresceu no Peru, todos os dias existem mais consumidores», indicou Gonzalo Ansola, director da ACCEP. A economia do Peru, impulsionada pelas exportações de minerais e, mais recentemente, pela construção e concessão de empréstimos, recuperou acentuadamente em Julho e Agosto, depois de desacelerar nos meses anteriores, devido à incerteza com a eleição presidencial do dia 5 de Junho. Analistas e governo prevêem um crescimento económico de cerca de 6% em 2010 e 8,8% em 2011. De acordo com o Fundo Monetário Internacional, o PIB per capita do Peru vai crescer para 5.414 USD até o final deste ano, em comparação com 5.196 USD no final de 2010. Em 2015, este indicador deverá chegar aos 6.700 USD.