Início Notícias Mercados

Retalho no masculino

O retalho parisiense de moda para homem tem assistido ao aparecimento de várias lojas nos últimos anos. Estas oferecem, a par de algumas das marcas mais icónicas de roupa masculina, utensílios para a casa, provas de vinhos e, claro, um café ou um lanche.

Em janeiro, o vestuário masculino teve papel principal no calendário de moda parisiense (ver Paris em tempo de cólera). E, na semana passada, o desfecho do mês da moda internacional de apresentação das coleções de pronto-a-vestir feminino para o outono-inverno 2016/2017 teve alguns homens a pisar a passerelle na “Cidade Luz” – cortesia de Demna Gvasalia, na Vêtements.

Todavia, enquanto as marcas de moda tentam realinhar os seus horários de passerelle a fim de capitalizarem de forma mais rápida a emoção do consumidor, é no retalho que continua a morar a ação.

Quer se esteja à procura de novos produtos de designer num ambiente de retalho verdadeiramente inspirador ou simplesmente em busca de um local diferente para tomar um café durante uma sessão de compras, eis cinco lojas da capital francesa com uma oferta fora da caixa para homem, selecionadas pelo portal de tendências WGSN.

The Broken Arm

Inaugurada em 2013 por três amigos, Anaïs Lafarge, Romain Joste e Guillaume Steinmetz, a The Broken Arm é parte café, parte loja multimarca.

Para os homens à procura de marcas como Our Legacy, Cristophe Lemaire, Raf Simons, Gosha Rubchinskiy ou Vêtements e em busca de uma dose extra de cafeína ou de um lanche rápido, esta loja é o local ideal – o interior do espaço e respetiva decoração também contribuem para o seu apelo junto de famosos e amantes de moda.

Merci

A Merci é uma loja que vende os mais variados artigos, desde utensílios de cozinha a eletrodomésticos, passando, claro, por uma interessante seleção de vestuário para homem e mulher. O espaço inclui ainda um jardim e experiências como provas de vinhos.

Tom Greyhound

Com sede em Seúl, a loja abriu recentemente um espaço em Paris. A primeira investida internacional da Thom Greyhound oferece uma mistura eclética de marcas de homem e senhora alojada num escasso interior espelhado, que faz com que os artigos tenham um papel de destaque e, simultaneamente, incentiva publicações nas redes sociais.

O espaço inclui uma amálgama de peças-chave de designers e marcas como J. W. Anderson, Marni, Off-White, Tim Coppens e Casely-Hayford e incentiva à “caça”, pelo que encontrar uma marca ou peça específica é um verdadeiro desafio.

L’Eclaireur Sévigné

Fundada em 1980 por Martine e Armand Hadida, esta boutique parisiense tem já várias localizações, mas o seu espaço na Rue de Sévigné é o que apresenta um interior mais marcante – que incluiu 147 ecrãs de vídeo –, concebido em colaboração com o artista belga Arne Quinze. Na L’Eclaireur há coleções de roupa masculina de Ann Demeulemeester, Craig Green, Haider Ackermann, Yohji Yamamoto, Anrealage e ofertas especiais, como uma coleção-cápsula lançada recentemente com a empresa Toray.

Supreme

A marca nova-iorquina de difícil definição abriu recentemente no Marais. Sem surpresa, há fila para conhecer as ofertas ​​da Supreme. Fiel às raízes da marca, a loja será liderada por Samir Krim, um francês apaixonado pela cena skater que detém uma marca própria – a Minuta.

Tags:

Autor: Bárbara Matias

Fonte: WGSN