Início Revista de Imprensa

Revista de Imprensa

  1. Setor têxtil português em destaque no Parlamento Europeu
  2. INE deverá anunciar melhor trimestre para a economia portuguesa em quase sete anos
  3. Quase dois terços das empresas dizem que Orçamento do Estado não favorece competitividade
  4. Produção industrial na Zona Euro com maior subida desde Dezembro
  5. PIB da Alemanha cresceu 0,6% até março
  6. Trabalhos sujos que pagam muito bem
  7. Outros

1Setor têxtil português em destaque no Parlamento Europeu

A conferência “The Rebirth of Portuguese Textiles: An Example of Best Practices”, organizada pela Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP) realizou-se no dia 11 de maio em Bruxelas, no Parlamento Europeu. O evento foi apresentado pelo Eurodeputado José Manuel Fernandes e contou com o apoio da Magellan (associação para a representação de interesses portugueses no exterior).

2INE deverá anunciar melhor trimestre para a economia portuguesa em quase sete anos

As instituições que acompanham a economia nacional antecipam que o PIB terá crescido mais de 2% no primeiro trimestre, algo que não acontece desde 2010. Os dados serão conhecidos na segunda-feira.

3Quase dois terços das empresas dizem que Orçamento do Estado não favorece competitividade

Quase dois terços das empresas inquiridas pela consultora Deloitte no Observatório da Competitividade Fiscal de 2017 consideram que a política do Governo não favorece a competitividade da economia, mas avaliam como positivas as medidas em sede de IRS.

4Produção industrial na Zona Euro com maior subida desde Dezembro

Em Março, a produção industrial na Zona Euro subiu 1,9%, em termos homólogos, o maior aumento desde o final de 2016. Em termos mensais, este indicador registou uma quebra ligeira face a Fevereiro, devido à energia.

5PIB da Alemanha cresceu 0,6% até março

dinheirovivoO produto interno bruto da Alemanha cresceu 0,6% primeiro trimestre, segundo dados do ministério da economia alemão. Este é o maior crescimento da economia daquele país desde 2010.

6Trabalhos sujos que pagam muito bem

O salário médio anual de um trabalhador americano a tempo inteiro é de 51.350 dólares, cerca de 47.000 euros anuais. Veja como se comparam os salários destas 10 profissões, vistas como muito pouco atrativas.

7Outros

Festival da Landing.Jobs está de volta e quer ajudar a definir a carreira

O festival de emprego da Landing.jobs está de volta a Lisboa mas cresceu em tamanho e ambição. Transformou-se no festival Landing.careers, passou para o Pavilhão de Portugal e, além de ajudar a encontrar trabalho na área tecnológica, quer ajudar a definir a carreira. A terceira edição está marcada para os dias 2 e 3 de junho.

Business Storm: Cascais recebe “tempestade de negócios” no início de junho

Cascais vai receber uma “tempestade de negócios” a 1 e 2 de junho. O Business Storm é um evento internacional que chega a território português e que vai cruzar temas como o desenvolvimento de negócio, inovação e a indústria 4.0 com a discussão de características pessoais (soft skills) como a tomada de decisão, técnicas de vendas e gestão de stress.

dinheirovivo

839 insolvências até março destroem 4500 postos de trabalho

No total, foram registadas 839 insolvências, que destruíram cerca de 4500 postos de trabalho e acumularam mais de 123 milhões de euros em créditos por regularizar. O volume de negócios perdido com os quase 900 encerramentos ascende a 474 milhões de euros.

Bruxelas contraria Centeno. Economia perde gás em 2018

Retoma “ganha ritmo” em 2017, mas faltam medidas que garantam mais músculo no emprego em 2018. em todo o caso, CE está mais otimista no desemprego.

Portugal é o quinto país da OCDE com mais desemprego

O taxa de desemprego em Portugal baixou dos 9,9% em fevereiro para 9,8% em março, com um total de 504 mil desempregados, segundo dados divulgados esta quinta-feira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE). Portugal passa a ser o quinto país da Organização com mais desempregados.

Carga fiscal caiu para 34,4% do PIB em 2016

No ano passado, a carga fiscal reduziu-se ligeiramente, tendo ficado em 34,4% do PIB. Um ano antes, o peso dos impostos tinha sido de 34,6% do PIB, duas décimas acima. A diferença é justificada pelo crescimento da economia, que foi superior à receita gerada com impostos, divulgou esta quinta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Exportações portuguesas de calçado crescem 8,9%

As exportações portuguesas de calçado aumentaram 8,9% para 535 milhões de euros no primeiro trimestre face ao mesmo período de 2016, destacando-se os desempenhos em França, Alemanha, Holanda, EUA, Rússia e Angola, divulgou hoje a associação setorial.

Bruxelas. Comércio eletrónico tem riscos para a concorrência

A Comissão Europeia concluiu que existem, no comércio eletrónico, práticas comerciais suscetíveis de restringir a concorrência porque existem limitações na forma como os produtos são distribuídos na União Europeia, impedindo a livre escolha dos consumidores e a prática de preços mais baixos.

ri.expresso

Turistas ficam mais tempo e gastam mais dinheiro no Porto e Norte de Portugal

Entre outubro e março assistiu-se também a um aumento de cinco euros no consumo médio por pessoa e por noite, para 79 euros.

ri.jornalnegocios

Combustíveis devem subir pela primeira vez em quatro semanas

Esta semana o preço dos combustíveis caiu para mínimos do ano. Na próxima segunda-feira deverão aumentar pela primeira vez em quatro semanas.

Abertura dos mercados: Bolsas, euro e petróleo com ganhos ligeiros

Os juros da dívida pública portuguesa caíram para novo mínimo desde Novembro, acompanhando a evolução da dívida de outros países europeias. A maioria das bolsas europeias regista ganhos ligeiros. Euro e petróleo partilham sentimento.

ri.noticiasaominuto

Adora flores e bordados na roupa? Chegaram os collants adornados

Lirika Matoshi, artista a viver em Nova Iorque, pega em collants de rede ou lisos e torna-os em verdadeiras peças de arte decorando-os com bordados, flores, pedrinhas ou brilhantes.

oje

‘Impossible is Nothing’: Adidas ultrapassa Nike nos patrocínios

Há vários anos que as marcas lutam pela primeira posição nas vendas de equipamentos de futebol, mas, segundo a agência Bloomberg, há um claro vencedor em 2016.