Início Revista de Imprensa

Revista de Imprensa

  1. Maioria dos europeus dizem não à mudança da hora
  2. Empresas francesas procuram parceiros industriais portugueses
  3. Crescimento dos negócios no comércio a retalho desacelera em julho
  4. DECO quer IVA de 6% em toda a energia
  5. Confiança do consumidor baixou nos meses de verão, afastando-se do recorde
  6. Poupança das famílias portuguesas caiu quase 3 pontos percentuais em seis anos
  7. Outros

1Maioria dos europeus dizem não à mudança da hora

ri.expresso
Os europeus dizem ‘não’ à mudança da hora. Mais de 80% dos participantes do inquérito lançado pela Comissão Europeia no mês passado manifestaram-se contra o fuso horário de verão e de inverno, segundo os dados do jornal “Westfalen Post” citados pelo “El País”.

2Empresas francesas procuram parceiros industriais portugueses

ri.portugalnews
A CCILF – Câmara de Comércio e Indústria Luso Francesa organiza mais uma bolsa da subcontratação industrial, no próximo dia 11 de setembro, no Hotel Novotel, em Gaia, no Porto. O evento conta com a presença de sete empresas francesas, que procuram parceiros industriais portugueses, principalmente nas áreas de metalomecânica e madeiras.

3Crescimento dos negócios no comércio a retalho desacelera em julho

dinheirovivo
Os negócios no comércio a retalho aumentaram 2,2% em julho, mas abaixo do aumento de 3,1% do mês anterior, revelou esta quinta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE). Para esta desaceleração contribuíram tanto o agrupamento dos produtos alimentares como o dos produtos não alimentares, com reduções de respetivamente 0,6 pontos percentuais (pp) e 1 pp face às variações homólogas registadas em junho (variações de 1,5% e 2,8%, em julho, pela mesma ordem).

4DECO quer IVA de 6% em toda a energia

Jornal I
A DECO está a defender a reposição da taxa do IVA em 6% sobre toda a energia e argumenta que a taxa intermédia de 13% não é suficiente para compensar os sacrifícios dos consumidores.

5Confiança do consumidor baixou nos meses de verão, afastando-se do recorde

ri.observador
A confiança dos consumidores em Portugal baixou no trimestre entre junho e agosto, depois de em maio ter atingido o valor mais elevado de que há registo (a série do INE começou em 1997). Houve um contributo negativo de todas as componentes do índice, em particular as perspetivas relativas à evolução do desemprego e à situação económica do país. Já o indicador de clima económico estabilizou em agosto, após ter atingindo em julho o valor máximo desde maio de 2002.

6Poupança das famílias portuguesas caiu quase 3 pontos percentuais em seis anos

jornaleconomico
A proporção de dinheiro que as famílias portuguesas estão a poupar diminuiu significativamente entre 2010 e 2016, quando comparada com a União Europeia. A taxa de poupança das famílias, calculada em percentagem do rendimento disponível bruto, caiu de 9,2% para 5,9% nesses seis anos.

7Outros

ri.diariodenoticias

Saídas para a reforma na função pública estão a cair 7%

O universo de funcionários públicos que sai para a reforma tem vindo a cair de forma consecutiva desde 2014 e, neste ano, arrisca bater um novo mínimo histórico. Nos primeiros sete meses deixaram a administração pública 5145 trabalhadores, o que evidencia uma quebra de 7% (menos 350 pessoas) face ao mesmo período do ano passado.

dinheirovivo

Taxa de desemprego estável em 6,8%

A taxa de desemprego terá estabilizado em julho no valor mais baixo em 16 anos. O Instituto Nacional de Estatística estima que este indicador tenha ficado em 6,8%, o mesmo nível de junho. Apesar de há um mês ter projetado uma taxa de 6,7% para esse mês, o INE reviu agora em alta o valor da taxa.

eco

Desapareceram 82 toneladas de gasóleo das reservas portuguesas. Afinal, estavam nos tubos

Portugal tem, como todos os países, reservas petrolíferas, mas também de combustíveis como a gasolina e o gasóleo. Até tem mais do que o mínimo exigido, sendo que, este ano, a Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis (ENMC) encontrou ainda mais. Depois de anos “perdidos”, foram “descobertos” mais uns milhares de litros de diesel, avaliados noutros tantos milhares de euros no mercado. Mas, afinal, onde estavam? Nos tubos.

ri.jornalnegocios

Argentina sobe taxa de juro para 60% com peso em queda livre

A mais uma queda acentuada no valor da moeda, a Argentina respondeu com uma subida na taxa de juro de referência do país em 15 pontos percentuais. O preço do dinheiro na segunda maior economia da América Latina está agora nos 60%, o que mais que duplica a taxa de juro registada há pouco mais de três meses.

Bolsas dos EUA caem à espera das negociações comerciais

As bolsas americanas seguem em queda, a reflectir a redução do optimismo em torno da guerra comercial. Depois de os EUA terem chegado a um acordo comercial, que substituirá o NAFTA, prosseguem agora as negociações com o Canadá. Os investidores estão expectantes em relação a esta questão, mas a guerra comercial com a China continua a assombrar a negociação.

ri.jornaldenoticias

Governo reafirma incentivos para emigrantes face às críticas

O Governo admitiu esta quinta-feira que os incentivos ao retorno dos emigrantes não chegam “para resolver todos os problemas”, após várias críticas sobre a insuficiência dos estímulos, mas insistiu nas medidas, por considerar que beneficiam toda a economia.

ri.lusa

Operação Furacão. Quase 800 arguidos, 164 inquéritos-crime e €180 milhões recuperados

A Operação Furacão, que investiga há mais de 10 anos casos de fraudes fiscais, soma 792 arguidos e 164 inquéritos, tendo o Ministério Público acusado 160 pessoas, e permitiu ao Estado recuperar 180 milhões de euros. Segundo o balanço feito pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), até agora e depois de mais de uma década de investigações, o Ministério Público somou 164 inquéritos instaurados, constituiu 792 arguidos, dos quais 489 pessoas singulares e 303 pessoas coletivas.

Fenprof duvida que ano letivo comece sem problemas

O secretário-geral da Fenprof disse esta quinta-feira duvidar que esteja tudo preparado para uma abertura sem problemas do ano letivo, considerando que o ministro da Educação “tem uma visão idílica quando diz que vai decorrer com normalidade”.

Milhares de precários já integrados no Estado. Processo deve acabar este ano

O ministro do Trabalho destacou esta quinta-feira que foram já milhares os precários integrados em vários setores do Estado, nomeadamente nos ministérios, no âmbito do programa de regularização de vínculos, e assegurou que este processo ficará concluído este ano.

ri.noticiasaominuto

Wall Street inicia sessão em queda após sucessivos recordes

Às 14:56 (hora de Lisboa), o índice Dow Jones descia 0,25% para 26.060,31 pontos e o Nasdaq perdia 0,21% para 8.092,48 pontos. O índice alargado S&P 500 baixava 0,21% para 2.907,84 pontos. Os investidores mantêm-se atentos à evolução das negociações comerciais entre Estados Unidos e Canadá.

jornaleconomico

Autoeuropa já produziu este ano um “volume histórico” de 139 mil veículos

A Autoeuropa já produziu este ano mais de 139 mil veículos, ultrapassando o máximo anterior de 138.890 veículos atingido em 1998, anunciou a empresa em comunicação interna aos trabalhadores a que a agência Lusa teve esta quinta-feira acesso.

ri.publico

Polícia chinesa já tem scanners portáteis para ler os telemóveis dos cidadãos

Pequim está a investir forte na segurança interna. Ler o que se passa nos telefones dos cidadãos faz parte do processo. A vigilância do Estado alastra e já há casos nos tribunais em que são citadas “investigações electrónicas”.

ri.sol

Governo considera “desnecessária e inútil” a deliberação das autarquias sobre a descentralização

O gabinete do ministro da Administração Interna considerou esta quarta-feira que a deliberação das autarquias a rejeitar a transferência de competências em 2019 “será desnecessária e inútil” até que os diplomas setoriais sejam aprovados.

vidaeconomica

Apresentação do grande estudo das empresas familiares do norte de Portugal

Abordar a temática das empresas em qualquer país da União Europeia é indissociável de se falar das empresas familiares. Reconhece-se que estas entidades são a grande maioria das sociedades comerciais, mas sobre as quais existem reduzidos estudos aprofundados, em especial em Portugal, que permitam uma análise mais aprofundada das suas realidades.