Início Revista de Imprensa

Revista de Imprensa

  1. Exportações sobem, mas diversificam pouco
  2. Empresários querem investir €7 mil milhões
  3. Amazon quer reforçar presença na Europa e contratar milhares de pessoas
  4. Actividade económica na Zona Euro em abrandamento
  5. Investimento em Portugal caiu mais de 30% desde 2007
  6. Christine Lagarde anuncia recandidatura à liderança do FMI
  7. Outros

1Exportações sobem, mas diversificam pouco

Aumento das exportações marcou os últimos anos. Serviços ganharam peso, mas diversificação de mercados e produtos foi limitada.

2Empresários querem investir €7 mil milhões

Vontade de investir é o que não falta nos concursos que dão acesso aos novos fundos europeus do Portugal 2020.

3Amazon quer reforçar presença na Europa e contratar milhares de pessoas

A gigante de comércio electrónico quer expandir as suas operações na Europa, o que levará à criação de milhares de postos de trabalho. Só no Reino Unido vai contratar 2.500 pessoas.

4Actividade económica na Zona Euro em abrandamento

A actividade económica privada na Zona Euro mostrou abrandou em Janeiro, de acordo com o índice que mede as intenções de compra dos gestores (PMI). Em França, no entanto, o indicador aumentou. Na Alemanha caiu.

5Investimento em Portugal caiu mais de 30% desde 2007

Economia. Países resgatados pela troika, como Grécia e Irlanda, registam os piores resultados. Apenas Alemanha, Bélgica, Luxemburgo, Reino Unido, Polónia e Suécia aumentaram valores.

6Christine Lagarde anuncia recandidatura à liderança do FMI

A atual diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), a francesa Christine Lagarde, anunciou hoje que será candidata a um segundo mandato à frente da instituição.

7Outros

Lisboa ganha mais de 2% a seguir Europa

Destaque para a subida de mais de 5% do BCP.

 

ri.diarioeconomico

Défice público recua na zona euro e na União Europeia

Valor no terceiro trimestre situa-se nos 1,8% segundo o Eurostat.

 

ri.jornalnegocios

O que implica o acordo sobre o salário mínimo

Descontos na TSU, valorização da formação controlada pelos parceiros sociais e a promessa de uma compensação de empresas de baixos salários e contratos com o Estado são as medidas colocadas em cima da mesa para convencer os patrões a assinar o primeiro acordo de concertação social de António Costa.

 

ri.lusa

China não tenciona desvalorizar moeda

O vice-presidente chinês Li Yuanchao afirmou na quinta-feira em Davos que a China não tenciona desvalorizar a sua moeda, o yuan, que caiu este mês 1,4% face ao dólar, numa depreciação que perturbou os mercados.