Início Notícias Marcas

Rihanna revoluciona moda de luxo

É um momento histórico para o grupo LVMH, que tem agora uma nova marca: a Fenty, criada pela mundialmente famosa Rihanna. Já com uma loja pop-up em Paris e com data definida para o lançamento no mundo digital, a Fenty junta-se a casas de moda como a Louis Vuitton e a Dior.

O anúncio já tinha sido feito pelo grupo de luxo francês, mas a Fenty, a nova marca do grupo LVMH, está agora oficialmente apresentada e já tem data de lançamento online: 29 de maio. A marca de luxo foi criada por Rihanna, a artista natural da ilha de Barbados, que se torna assim a primeira mulher a criar uma marca original no LVMH e a primeira mulher de cor na liderança de uma casa de moda no grupo de luxo. A sua linha será a primeira marca nova criada no grupo desde a Christian Lacroix, em 1987.

Inaugura-se, deste modo, um novo capítulo para Rihanna e para a história da moda de luxo. A Fenty – numa referência ao nome completo da artista, Robyn Rihanna Fenty – junta-se, assim, a um portefólio de marcas que inclui nomes como Givenchy, Christian Dior e Bulgari.

Bernard Arnault e Rihanna

A marca surge no seguimento da colaboração da artista na área da cosmética com o LVMH, com a Fenty Beauty. Lançada sob a alçada do grupo em setembro de 2017, a marca atingiu cerca de 500 milhões de euros em vendas no final de 2018. «Toda a gente sabe que Rihanna é uma cantora fantástica, mas através da nossa parceria na Fenty Beauty, descobri uma verdadeira empreendedora, uma CEO e uma líder extraordinária», afirmou, em comunicado, Bernard Arnault, presidente do conselho de administração e CEO do LVMH. «Para apoiar a Rihanna a começar a Fenty, criámos uma equipa talentosa e multicultural apoiada pelos recursos do grupo», acrescentou.

Por sua vez, a artista garante que Bernard Arnault lhe deu «uma oportunidade única para desenvolver uma casa de moda para o sector do luxo, sem limites na direção criativa. Não posso imaginar um parceiro melhor, tanto em termos criativos como de negócio, e estou pronta para o mundo ver o que podemos construir juntos».

Acerca da casa de moda, que contará com uma gama completa de vestuário, calçado e acessórios, Rihanna garante que será «diferente e pouco tradicional, porque eu venho de fora da indústria. Sou agressiva, gosto das silhuetas arredondadas e que as mulheres se mostrem seguras. É exatamente isso que quero oferecer», afirmou a cantora durante a inauguração da loja pop-up da Fenty, no bairro Marais, em Paris. O espaço abriu portas na passada sexta-feira, 24 de maio, onde ficará durante duas semanas.

Rihanna abre caminho para os mais jovens

Com o lançamento da marca, o LVMH irá contar com a força digital de Rihanna. Só no Instagram a artista tem mais de 70 milhões de seguidores. No total, nas redes sociais, conta com 170 milhões de seguidores, sendo uma das maiores influenciadoras do mundo.

Os conglomerados de luxo têm, cada vez mais, explorado colaborações com celebridades, bem como com designers de streetwear, para atrair a atenção dos consumidores jovens para os artigos de luxo. Contudo, a maioria das parcerias desse género estão restritas a edições limitadas. O grupo LVMH quis ultrapassar os seus rivais ao elevar a sua colaboração com a Rihanna para outro nível.

Rihanna não é, contudo, a única diva do pop a realizar incursões no mundo da moda. Beyoncé, que detém as marcas Ivy Park e House Of Dereon, assinou, no mês passado, um acordo com a gigante alemã Adidas.

De Barbados para Paris

Conhecida pelo seu estilo arrojado na passadeira vermelha, Rihanna é seguida tanto pela sua música como pelo seu estilo, tendo já trabalhado com outras marcas, incluindo a Puma, onde exerceu o cargo de diretora criativa. A artista, com uma fortuna avaliada em 260 milhões de dólares (cerca de 230 milhões de euros) pela revista Forbes, em julho do ano passado, é presença habitual na primeira fila de desfiles de moda, particularmente da Dior, em Paris, e já deu provas da sua criatividade e empreendedorismo, tendo criado a linha Savage X Fenty na lingerie e colaborado com a Manolo Blahnik.

Nem o LVMH nem a artista adiantaram detalhes quanto a um possível desfile ou a eventuais pontos de venda físicos.

Em contraste com outras marcas do grupo, os produtos da Fenty serão vendidos a preços significativamente mais baixos, entre os 600 euros e os 800 euros para os vestidos, 500 euros para calçado e 300 euros para joalharia. Através de vendas online, os produtos da Fenty estarão inicialmente disponíveis em 14 países da Europa e nos EUA e, no final do ano, chegam à Ásia.