Início Destaques

Riopele entra na startup IOTech

A empresa têxtil adquiriu uma quota de 10% da tecnológica IOTech, uma das startups na incubadora Famalicão Made IN que fica dentro das instalações da Riopele, em Vila Nova de Famalicão. A aquisição encerrou um ano positivo para a empresa têxtil, que registou um volume de negócios de cerca de 75 milhões de euros.

A IOTech, que desenvolve soluções inteligentes para a indústria, despertou o interesse da Riopele no showcase de apresentação de startups à indústria, que teve lugar em outubro e contou com uma plateia de empresários, mentores e potenciais investidores. «Nesse momento, foi percetível o interesse de alguns dos investidores na IOTech, o que levou a uma análise posterior sobre uma possível aquisição de capital da IOTech por parte da Riopele. Após essa análise, chegou-se à conclusão que a aquisição seria benéfica para ambas as partes, havendo assim cooperação, expansão de clientes, abertura para novos mercados e uma maior oferta de serviços», explica a IOTech num texto publicado no blogue oficial.

O negócio, contudo, só foi concluído na última semana do ano. «As conversas entre a Riopele e a IOTech avançaram e, na última semana de 2018, foi confirmada a aquisição de 10% do nosso capital pela Riopele», explica, citado num comunicado do Famalicão Made IN, Filipe Portela, CEO da IOTech, que mantém 90% de quota, enquanto os restantes 10% são detidos pela Riopele, na pessoa do seu administrador Bernardino Carneiro.

O negócio vai implicar também uma mudança de nome da startup, que se passará a chamar IOTECHPIS – Innovation on Technology, Lda. «A IOTech agradece a confiança depositada, pois representa um importante passo para a empresa na construção de uma sociedade IO», afirma a IOTech no seu blogue oficial.

Para a Câmara Municipal de Famalicão, «esta aquisição atesta não só a qualidade dos projetos da incubadora, mas também os bons resultados da aproximação das startups famalicenses à indústria, objetivo central da criação desta estrutura de incubação e aceleração de ideias de negócio, em 2015, pelo Município de Famalicão, numa parceria com a Riopele».

Crescimento em 2018

José Alexandre Oliveira

A notícia da aquisição da IOTech por parte da Riopele foi o culminar de um ano positivo para a empresa têxtil, que encerrou 2018 com crescimento. «Foi um bom ano. Apesar das circunstâncias que existem e que não dependem de nós, como sendo as condições climatéricas, que influenciam muito as vendas dos nossos clientes, conseguimos atingir os nossos objetivos, que era o mais importante», revela ao Portugal Têxtil José Alexandre Oliveira, presidente do conselho de administração da Riopele.

Com um volume de negócios consolidado que deverá atingir os 75 milhões de euros, a Riopele, fundada em 1927, investiu no ano passado mais de cinco milhões de euros. «Só a instalação dos painéis fotovoltaicos representou mais de 800 mil euros. O resto foi investido um pouco por toda a parte. A dimensão da empresa obriga a que se invista anualmente em quase todos os sectores para estar atualizado», sublinha o presidente do conselho de administração da Riopele.

Atualmente, a Riopele emprega mais de 1.100 pessoas e exporta 97% da sua produção.