Início Arquivo

Riopele iguala no Brasil a facturação de Portugal

O grupo têxtil Riopele deverá atingir uma facturação de 24 milhões de contos, em 2005 através da Intermarcas, a empresa brasileira que detem as duas cadeias de venda a retalho de vestuário Chocolate e Mark Store, noticia o Diário Económico. 24 milhões de contos é precisamente o valor de facturação do grupo em Portugal, onde detém quatro unidades fabris e mais de 2.200 trabalhadores.

Actualmente, a Riopele possui 15 lojas no Brasil, através da sociedade Intermarcas, onde detém a maioria do capital. Em 2004, a Riopele pretende expandir os conceitos Chocolate, de segmento alto, e Mark Store de segmento médio-alto, até um total de 30 lojas. Para já, e ainda este ano, a Riopele prevê a abertura de duas lojas e no próximo ano o grupo vai abrir mais quatro. A Intermarcas facturou cinco milhões de contos no ano passado e espera um crescimento de 10% para este ano. Por enquanto, e apesar dos conceitos Chocolate e Mark Store serem de fácil adaptação ao mercado português, a Riopele vai-se deixar ficar pelo Brasil.

A ideia é alargar os conceitos a outras cidades brasileiras, deixando de estar apenas circunscrita ao Rio de Janeiro e São Paulo. O mercado da América Latina é contudo um segmento a estudar. Mas a crise económica em que o país está mergulhado impõe que o projecto aguarde pela retoma.

No que toca ao mercado europeu, a Riopele continua à procura do parceiro ideal, se bem que já tenha estado a um passo de concretizar o negócio. Em Portugal, o grupo têxtil Riopele tem mantido o negócio estável, com uma facturação a rondar os 24 milhões de contos. Em 2000, o grupo ( Riopele, Olifil, Filatex e Olicor) facturou 24,2 milhões de contos contra os 23,9 milhões facturados no ano anterior.