Início Destaques

Riopele investe €1,2 milhões no apoio à produção

O presidente da Riopele, José Alexandre Oliveira, quer «concentrar todas as infraestruturas de apoio à produção». Para isso, foi construído um novo edifício técnico, num investimento de 1,2 milhões de euros, que inclui ainda uma nova rede de vapor, um novo sistema de recuperação térmica e diferentes linhas de tratamento de água.

José Alexandre Oliveira

A Riopele continua o seu plano de expansão e acaba de concluir a construção de um edifício técnico, num investimento que ronda os 1,2 milhões de euros. O objetivo, de acordo com José Alexandre Oliveira, presidente da empresa, é «concentrar todas as infraestruturas de apoio à produção».

Em termos práticos, explica a especialista em tecidos na área de notícias do seu website, «a empreitada consistiu na construção de um edifício de raiz, dotado com as máximas exigências acústicas, térmicas e de segurança, visando a modernização dos equipamentos e dos sistemas de controlo e automação das operações».

Além disso, a intervenção abrangeu ainda a instalação de uma nova rede de vapor, compressores de ar comprimido, um novo sistema de recuperação térmica e a montagem de um novo posto de transformação. «Paralelamente, procedeu-se à reformulação de todo o esquema de abastecimento de água e à criação de diferentes linhas de tratamento de água de abastecimento às diferentes unidades da Riopele», acrescenta a empresa.

[©Riopele]
O projeto, que abrange os domínios da racionalização das operações, dos espaços, sustentabilidade e digitalização/indústria 4.0 da estratégia da Riopele, soma-se a vários outros que a empresa tem levado a cabo nos últimos anos para cumprir a ambição de se tornar a fábrica da Europa, tendo, desde 2012, investido cerca de 35 milhões de euros para melhorar a sua capacidade. «Posicionamo-nos para nos assumirmos como a principal referência na Europa, investindo não só em tecnologia de ponta – automação e eficiência dos novos equipamentos, criação de uma plataforma digital, monitorização do chão de fábrica e implementação de um sistema de visão artificial nos teares – como otimizando processos e reforçando competências internas», afirmou, no ano passado, José Alexandre Oliveira.

Já este ano, a empresa anunciou a aposta na marca Riopele Textile E-Motion, dedicada à indústria automóvel e aos segmentos profissional e militar. «Este é um período para consolidar a nossa posição no mercado e para abordar novos segmentos de produtos», considera o presidente da empresa, citado pela Lusa.

Uma expansão que segue o percurso de inovação da empresa e a meta traçada pelo presidente para o centenário da Riopele, que será celebrado em 2027. «É a minha obrigação preservar este legado extraordinário e preparar as condições para a continuidade», assumiu numa entrevista ao Jornal Têxtil.