Início Notícias Moda

Robots dão vida à passerelle de Nova Iorque

Os vestidos robóticos tomaram conta das passerelles na semana de moda de Nova Iorque. A moda e a tecnologia vão cada vez mais na mesma direção e caminham juntas para um mercado inovador. Entre carteiras capazes de carregar telemóveis e a presença do robot Sophia, os novos desenvolvimentos são cada mais surpreendentes.

A moda e a tecnologia foram grandes aliadas na semana de moda de Nova Iorque. Com efeito, os projetos robóticos estiveram o centro das atenções e marcaram pela diferença e novidade.

Anina Trepte, especialista em moda tecnológica e fundadora da 360Fashion Network, ajudou a conceber vestidos robóticos através de um kit que desenvolveu. A pedido da empresa da ex modelo, os designers Clare Tattersall e Azrael Yang usaram esse kit para criar seis vestidos apresentados na igreja de Harlem, numa exibição organizada por Melange, um movimento que promove a diversidade na arte e na moda.

360FashionNetwork

Tattersall produziu um vestido impossível de passar despercebido, com várias pétalas futuristas que abrem e fecham automaticamente. O segundo vestido tinha um capuz prateado, que subia e descia através de um simples clique. Este último, como muitos outros, fez jus ao movimento #MeToo, homenageado na semana de moda. A hashtag resultou da onda de ocorrências de assédio sexual que foram vítimas algumas personalidades e demorou segundos a tornar-se viral, ao ponto de ter inspirado modelos para as passerelles.

360FashionNetwork

O vestido tem partes em metal inseridas num dos ombros e quando os sensores ocultos detetam alguém demasiado perto, tremem e tilintam.

Já Yang bebeu inspiração no oceano e em alguns elementos do ambiente para produzir o efeito das ondas recriado pelos sensores. O fenómeno foi reconhecido como extraordinário por Anina Trepte.

Missão tecnológica

Embora seja americana, Anina Trepte deixou a vida de modelo e mudou-se há mais de uma década para Pequim de forma a conseguir dedicar-se, por completo, à moda tecnológica. Para a fundadora da empresa ThunderLily, a tecnologia é uma ferramenta muito criativa, que no futuro irá ser a chave para inovar na saúde e no universo do fitness.

Anina Trepte

Trepte considera que a educação é a solução para fazer com que mais mulheres, de várias idades, se interessem pela matemática e pela tecnologia. «Tenho a missão de incentivar outras mulheres a entrar no mundo da tecnologia», afirmou à AFP.

Os vestidos foram expostos numa exibição na Union Square em Nova Iorque, em conjunto com acessórios igualmente de alta tecnologia: joias que se iluminam, carteiras que carregam telemóveis e um toque “SOS” que envia uma mensagem com a localização GPS para um contacto de emergência.

De igual forma, a mostra comtemplou ainda kits para fazer luvas com LED ou casacos com aquecimento e até mesmo um robot que preparava cocktails, ativado por sensores ocultos na manga do casaco.

Uma convidada bem real

Sophia foi a convidada especial da exposição de vestidos robóticos. O robot humanizado, criado por Hanson Robotics, tem traços e gestos tão reais, que chega a intimidar com as pestanas de aparência tão natural. A convidada deu um discurso sobre diversidade no Melange show, em Harlem.

Sophia

Pela passerelle desfilaram modelos de todas as formas, tamanhos, raças e orientações sexuais. Depois de três anos de ausência, a Rag & Bone também apresentou um robot para marcar o regresso à semana de moda de Nova Iorque. O braço gigante do robot filmou o desfile e projetou as imagens, para o público, em ecrãs LED gigantes.

O braço robótico, que captava os movimentos das modelos, foi quase uma personagem. «Foi desde muito engraçado a assustador», confessou Aaron Duffy, o responsável pelo robot, à revista Fast Campany.