Início Arquivo

Roupa interior não encanta só os homens

Segundo um inquérito representativo feito pela revista alemã Textilwirtschaft, encontram-se em média 20 slips, dez soutiens, nove camisas de noite e três bodies no guarda-roupa das mulheres alemãs. Estas gastam cerca de 3,06 mil milhões de Euros em roupa interior ou à volta de 90 Euros por mulher. Apesar do facto de darem muito importância à sua roupa interior, as mulheres alemãs não estão dispostas a gastar muito dinheiro com ela. Em relação aos preços que estão dispostas a pagar a resposta é: 15,86 Euros pelos soutiens e 7,16 Euros pelos slips. Mas por um soutien muito bonito estão dispostas a pagar 23,01 Euros ou por um slip lindo 11,25 Euros. É obvio que estes preços só são valores médios e não dizem nada a respeito do potencial de procura de produtos de preços altos no mercado alemão. Uma análise mais discriminada dá resultados animadores: uma em cada sete mulheres diz que está disposta a pagar mais de 15,35 Euros por um slip, uma em cada quatro mulheres aceita preços acima de 25,58 Euros por um soutien e uma em cada oito mulheres diz que gasta mais de 35,80 Euros por um soutien muito bonito. Mostrou-se também que as mulheres mais velhas mostram uma disposição maior para aceitar preços altos do que as mulheres mais jovens. O inquérito revelou ainda que as mulheres alemãs gostam de modelos diferentes e não compram só roupa interior do mesmo género. A maioria das mulheres tem dois ou três tipos diferentes e usa-os em função da situação. Roupa interior prática e funcional é a favorita de 51% das mulheres inquiridas. Seguem os modelos num estilo clássico e independente da moda (40%). Em terceiro e quarto lugar estão os modelos com classe (37%) e simples (36%). Só 28% das mulheres inquiridas mostram interesse em roupa interior que segue as tendência da moda e 26% gostam de um estilo desportivo. Os modelos que fazem parte dos sonhos masculinos – roupa interior sensual e sedutora – suscitam apenas o interesse de 19% das mulheres. Uma explicação para este fenómeno pode ser o facto de quase 50% das mulheres adultas na Alemanha terem mais de 50 anos, e por esta razão, o gosto deste grupo tem um peso maior do que o das jovens. A mesma variedade que existe em relação aos diversos tipos de roupa interior encontra-se em relação aos sítios de compra. Em média, as mulheres compram a sua roupa interior em três tipos de lojas: em primeiro lugar estão as secções de roupa interior dos grandes armazéns, onde dois terços das mulheres efectuam as suas compras. Em segundo lugar e com uma distância notável, estão as grandes casas de moda. Uma em cada duas mulheres compra aí os seus soutiens, slips, bodys ou camisas de noite. Em terceiro e quarto lugar encontram-se as lojas especializadas (34%) e as empresas de venda através de correios (30%). Para o grupo das mulheres que gostam de comprar produtos caros os valores são outros. Quase um terço das mulheres deste grupo com um interesse elevado em produtos de marca, efectua as suas compras em lojas especializadas. Seguem as casas de roupa e os armazéns que ainda cativam 50% dos membros deste grupo. As redes de filiais com roupa moderna, como por exemplo a H&M só conseguem obter o interesse de 30% das mulheres alemãs, mas isto não significa que as mulheres jovens não gostem dos seus produtos. Quase uma em cada duas raparigas com menos de 30 anos compra os seus soutiens ou slips neste tipo de lojas. Durante as suas compras a maioria das clientes prefere a sua paz, gostam de ver os modelos com calma sem serem perturbadas pelos empregados. Mesmo as mulheres com mais de 60 anos têm este desejo e só 20% procuram o apoio dos empregados. O conforto de vestir está em primeiro lugar no que diz respeito nos critérios de compra, seguido pelos preços. Para 42% das mulheres inquiridas é importante que os produtos sejam modernos e atractivos, um valor que muda imenso em relação aos diversos grupos de idades. Por exemplo, 60% das mulheres com menos de 40 anos consideram este aspecto muito importante. Modelos eróticos suscitam o interesse de 45% das mulheres com menos de 30 anos. Comparado com os outros tipos de roupa, as marcas têm uma grande influência nas compras de roupa interior para as mulheres alemãs: 38% das clientes dizem que têm interesse nisso. Quanto mais dinheiro as mulheres gastam com estas compras, mais importante é a compra de produtos de marca, e parece que a idade das clientes nada tem a ver com este aspecto. As marcas mais conhecidas na Alemanha são a Triumph e a Schiesser e 50% das mulheres inquiridas dizem que têm um ou mais produtos destas marcas no seu guarda-roupa. Seguem-se a Sloggi e a May, cada uma com 20%, a Esprit com 19% e a S. Oliver com 11%. No grupo das jovens a imagem é diferente: 45% das raparigas entre 14 e 29 anos preferem soutiens, slips, bodies e camisas de noite da H&M. A Schiesser está em segundo lugar com 35% e a Esprit em terceiro lugar com 25%. Isto mostra que um nome conhecido não é suficiente para obter o interesse dos clientes. Mais importante é que os preços e a sua distribuição sejam bons.