Início Notícias Marcas

Scusi com pernas para correr

A marca de vestuário feminino, com raízes em Barcelos e defensora do “made in Portugal”, alargou a oferta da sua linha desportiva para responder à procura por artigos mais confortáveis, acompanhando assim a mudança nos hábitos de consumo.

Rosa Martins

Simplesmente pela sonoridade da palavra italiana para desculpa surgiu o nome da Scusi que está presente em várias lojas multimarcas. Na lista de mercados constam já países como Portugal, Espanha, e Canadá, com o mercado nacional a determinar a maioria e a ditar o cumprimento de um dos objetivos. «Conseguimos estar espalhados em todo o país e bem consolidados. Mas agora o nosso principal objetivo é conseguir expandir para outros países», afirmou Rosa Martins, CEO da Scusi, durante a sua participação na última edição da Momad.

A coleção outono-inverno 2020/2021, apresentada no salão de moda madrileno, assenta numa linha casual de modo a corresponder às necessidades de conforto que o cliente procura, em especial nos tempos que correm. «Alargámos uma linha mais desportiva, que é o segundo ano que temos», revelou a empresária ao Portugal Têxtil. Acho que as pessoas estão à procura de artigos mais confortáveis. Antigamente as pessoas ligavam mais ao aspeto e não tanto ao conforto e agora já ligam mais à qualidade da peça, aos materiais, aprecia-se mais a matéria-prima», considera.

Criada em 2013, a marca de vestuário feminino propõe um conceito «versátil» que se adapta a várias ocasiões e, por isso, a empresa sediada em Barcelos, além de ter produção própria também subcontrata alguns serviços maioritariamente no norte do país para conseguir diversificar na oferta de produtos. «Tentamos sempre que a pessoa não compre uma peça para usar só numa determinada ocasião. A Scusi tem interesse por ser prática. Veste para sair, para o emprego e cada vez mais as pessoas procuram que a roupa seja versátil», acredita Rosa Martins. «Tudo é feito em Portugal. Temos produção, mas temos fábricas especializadas para cada tipo de produto. É impossível conseguir a variedade que tem aqui com uma só empresa. Desde gangas, blusas, malhas, tricots…», sublinhou.

«Suavizar» as matérias-primas tem sido uma preocupação da Scusi, uma vez que «as linhas estavam um bocadinho pesadas», admitiu a CEO. «Temos matérias-primas mais confortáveis do que as que tínhamos no ano anterior. Havia muitos poliésteres e tiramos esse tipo de fibras. Estamos com matérias-primas mais agradáveis, como a viscose, o liocel. Temos muitas malhas em caxemira, o que não tínhamos, e o cliente começou a aceitar bem, acabando por reconhecer que é melhor», explicou Rosa Martins.