Início Arquivo

Sem meter água

A Owens Corning é uma empresa empenhada em promover o crescimento da utilização de materiais compósitos em múltiplos e variados mercados, e a última edição da feira anual JEC de Paris constituiu a plataforma ideal para mostrar os seus mais recentes desenvolvimentos neste domínio.

Este ano, a empresa apresentou uma nova manta de não-tecidos em fibra de vidro de alto desempenho destinada à indústria naval, e que vem na sequência dos novos produtos navais em não-tecidos e malhas lançados em 2003.

Embora a sua aplicação em barcos e navios constitua somente 6% do valor total dos compósitos em 2003, é o segmento onde se prevêem as maiores taxas de crescimento em termos de valor, com 7% por ano até 2008.

A manta de filamento contínuo 8635 (CFM) da Owens Corning é fabricada a partir das suas fibras de vidro Advantex e destinada à moldação. «Com a manta CFM 8635 pudemos ajudar os clientes a atingir níveis de produtividade e de ciclos de tempo nunca antes possíveis», declara Matt Dunn, director do mercado naval. «Estamos especialmente animados por lançar um produto concebido para a moldação fechada, que é a chave para o mercado naval na medida em que os fabricantes procuram formas de substituir, pelo menos uma parte, dos seus sistemas de moldação abertos a fim de satisfazer os padrões ambientais pendentes».

Entre as mais importantes vantagens da CFM 8635 estão a possibilidade de produzir partes estruturais de reforço de maiores dimensões graças à rapidez de secagem, a compatibilidade com sistemas de resina de poliuretano e de poliéster insaturados e as excelentes propriedades mecânicas multidireccionais como a resistência e o módulo de flexão.

Todos os produtos navais da empresa encontram-se disponíveis em reforços de fibra de vidro Advantex.

Lançada em Janeiro de1997, aAdvantex combina as propriedades mecânicas e eléctricas do vidro E com a resistência à corrosão do vidro E-CR. Os reforços de fibra de vidro Advantex são também compatíveis com os sistemas de resina mais amplamente utilizados. A processabilidade e as características de produção do vidro Advantex são comparáveis com as formulações tradicionais do vidro E e E-CR, e como o material utiliza uma plataforma tecnológica comum, os clientes podem especificar o mesmo produto em qualquer lugar do mundo.

A linha OC FlowTex de tecidos, baseada na tecnologia das malhas tradicionais, apresenta também um interesse específico para um construtor de barcos ou navios. Estes tecidos são compostos por pêlos unidireccionais que utilizam uma construção única com patente pendente, de forma a melhorar significativamente o fluxo da resina. Os tecidos FlowTex, com distribuição integral da resina, apresentam canais únicos, construídos no interior da estrutura, que distribuem uniformemente a resina em processos de moldação fechados, possibilitando o preenchimento de partes até 40% mais rápido do que nos processos utilizados anteriormente. Estes tecidos estão também disponíveis em versões com mantas de filamentos contínuos para uma maior superfície de circulação.

Os produtos encontram-se disponíveis em 3 configurações de base, permitindo aodesigner colocar a fibra onde é necessária. Um quarto produto, VL 8860, é apresentado sob a forma de véu, e foi concebido para processos como, por exemplo, a moldação por transferência de resina (RTM).

O VL 8860 permite suprir a necessidade de um revestimento em muitas aplicações, já que possui uma superfície de revestimento em gel de acabamento macio. Este uniforme véu de reforço de vidro apresenta uma camada de fibra de vidro por trás do revestimento de gel que serve como elemento estrutural do laminado, além de melhorar a cosmética de superfície. Quando utilizado como camada superficial moldada, o VL 8860, resiste ao encolhimento e reduz as tensões internas dos revestimentos espessos da capa.

As fibras utilizadas no VL 8860 foram concebidas de forma a oferecer uma boa circulação da resina nos processos líquidos de moldação. Habitualmente, é primeiro colocado numa superfície moldada e revestida de gel. Os reforços laminados são depois acamados no topo do véu. A parte é então moldada de forma a criar uma ligação estrutural ao longo do laminado.

No ano transacto, a Owens Corning Veil Technologies iniciou a expansão das suas instalações de Apeldoorn, na Holanda, investindo 30 milhões de euros. Criada para apoiar a estratégia de crescimento global da OC Veil Technologies no mercado dos não-tecidos especiais, a expansão de Apeldoorn aumentou significativamente a capacidade da unidade de negócios de mantas de não-tecidos de vidro, sem incluir as mantas para tectos, para cerca de 600 milhões de metros quadrados por ano nas unidades de Apeldoorn, Liversedge (Reino Unido) e Aiken (EUA). Contando com as mantas de não-tecidos para tectos, as quais são produzidas em 3 grandes linhas nos EUA, a capacidade total de não-tecidos da empresa é de cerca de 2,1 mil milhões de metros quadrados por ano.