Início Arquivo

Semana Têxtil II

  A inovação esteve em destaque no terceiro dia da Semana Têxtil que o JT apresentou noiníciodesta semana, num evento realizado no pólo da Universidade do Minho em Guimarães, com a apresentação de três projectos de índole científica e tecnológica. Os projectos já se encontram em execução, e estão a ser desenvolvidos no âmbito do Eixo 3 do programa Dínamo – Eixo de Inovação e Desenvolvimento, apresentado no dia anterior (e cuja cobertura alargada será em breve aqui publicada). O primeiro projecto chama-se Shoemat, agrega 14 empresas e sete instituições do sector do calçado e tem como objectivo a investigação, em termos de funcionalidade do calçado em palmilhas, solas, colas, calçado ecológico e revestimentos. «Tendo em consideração que os materiais que compõem o calçado assumem um particular protagonismo no processo de compra, o Shoemat privilegiará uma intervenção ampla ao nível dos novos materiais, como couros ecológicos, materiais anti-bacterianos e ecoeficientes», adianta a Apiccaps.

 

No segundo, o CENESTAP – Centro de Estudos Têxteis Aplicados e a Apiccaps – Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos, estabeleceram uma parceria com o ministério da economia para o desenvolvimento do projectoinfashion.pt,incluído no programa PME-digital, no âmbito das RIAT – Redes de informação e assistência técnica.

 

Oinfashion.pttem como objectivo reforçar a posição das empresas têxteis e do calçado na Economia Digital, com a realização de diagnósticos e planos de acção ao nível dos sistemas de informação (equipamentos de comunicação, hardware, software, redes, …) das pequenas e médias empresas nacionais.

As empresas que participarem neste projecto terão prioridade no processo de selecção para acesso ao sistema de incentivos a ser lançado pelo Ministério da Economia, para financiar os investimentos recomendados no referido Plano de Acção, o que constituirá a segunda fase deste processo.

Por fim foi apresentado o Centro de Excelência de Nanotecnologia que será criado em Vila Nova de Famalicão, no Citeve. Braz Costa, director-geral deste centro, salientou que «o projecto pretende criar funções nos produtos através de tratamentos físicos, químicos e introdução de outras áreas tecnológicas, como tecnologias de informação, electrónica, entre outras, sem esquecer o design na sua total amplitude enquadrando novas funções nos produtos da ITVC. Isto, além dos têxteis-técnicos destinados à aplicação técnica em produtos que fogem à fileira tradicional do vestir, da casa e do calçar, que tentam alcançar o automóvel, os domínios aeroespacial, da construção e da saúde».

Segundo Braz Costa, este centro de excelência é um projecto que está na primeira linha da inovação europeia. A visão estratégica e a identificação da oportunidade estão construídas, mas tudo está ainda no começo daquilo que se espera venha a constituir-se como uma grande aposta para os sectores do têxtil, vestuário, calçado e couros.

 

O director-geral do Citeve também revelou que para dar corpo ao projecto do Centro de Nanotecnologia foi contratado o melhor especialista europeu em nanotecnologias. Trata-se da figura que foi igualmente escolhida pela rede dos centros tecnológicos têxteis europeus para fazer a interface com a Comissão Europeia sobre aquela matéria. No entanto, anunciou que a apresentação formal e detalhada deste projecto só será feita no Citeve de Famalicão no dia 24 deste mês. A data foi escolhida porque assinala 15º aniversário do centro sendo ainda a efeméride aproveitada para apresentar o projecto do Centro da Moda e inaugurar novas áreas nas instalações do pólo famalicense.