Início Arquivo

SIMM satisfaz

Reunidas nos pavilhões 1, 3, 5 e 7 da Feria de Madrid, as propostas de moda para a próxima época Outono-Inverno 2009/2010 foram exibidas por mais de 500 expositores directos e 1.039 empresas e marcas provenientes de 17 países. No que diz respeito aos visitantes, esta edição recebeu um total de 12.313 profissionais, dos quais 10.742 eram nacionais. Madrid, Andaluzia, Catalunha e Valência foram as regiões que levaram um maior número de compradores ao salão. Em relação aos visitantes estrangeiros, a presença internacional somou 1.571 profissionais, provenientes de 62 países. Um número significativo que reafirma o carácter internacional da feira e a boa imagem que a moda espanhola tem no exterior. Do total internacional, há que destacar a presença de compradores provenientes de Portugal, Itália, Rússia e França, muito embora se tenha registado uma descida significativa nos países que, tradicionalmente, proporcionam um maior número de profissionais à SIMM, devido, fundamentalmente, à contracção orçamental que se tem vindo a verificar nas empresas do sector. Ampla presença internacional A França, berço da moda a nível mundial, foi o país convidado nesta edição. Um protagonismo que se tornou patente através da participação de 29 expositores. Actualmente, a França é o primeiro cliente da moda espanhola, seguida de Portugal e da Itália, de acordo com os dados do Instituto Espanhol de Comercio Exterior (ICEX). No que se refere às importações, a China liderou o ranking das compras espanholas no exterior em 2008, seguida da Itália e da França. Para além da ampla presença das empresas francesas, a SIMM ofereceu uma significativa participação internacional, que se concretizou em mais de130 empresas e cerca de 400 marcas representadas, que equivaleram a cerca de 38% do número total de expositores. Estes dados confirmaram a importância da SIMM como plataforma imprescindível para a promoção e introdução no mercado espanhol das propostas e tendências que chegam do exterior. Entre os países representados na convocatória de Fevereiro 2009 estiveram presentes, para além da Espanha, a Alemanha, a Argentina, a áustria, o Bangladesh, a Bélgica, o Brasil, a Colômbia, os Estados Unidos, a França, a Grécia, a Itália, o México, o Nepal, os Países Baixos, Portugal, o Reino Unido e a Turquia. Elevado número de contactos O significativo abrandamento do consumo registado nos últimos meses, em consequência da desaceleração económica financeira global, sentiu-se em grande escala nos últimos meses no sector têxtil e da confecção, e teve também o seu efeito no comportamento do comprador que veio a esta edição da SIMM. Segundo Daniel Sánchez, responsável comercial em Espanha da empresa Didier Parakian, «o comprador mostrou-se, nesta edição, muito mais cauteloso na hora de adquirir novos artigos, para não ficar com a mercadoria em stock». Contudo, apesar da recessão económica, as impressões que obtiveram os fabricantes, distribuidores e vendedores participantes na SIMM foram positivas e mais favoráveis do que estavam à espera. Para Ana Velasco, directora da empresa Anauve, a feira correu melhor do que tinha previsto. «As expectativas não eram muito elevadas. Mas no final tivemos mais clientes». Esta é também a opinião de Evaristo García, director comercial da Montoto, que assegurou que a edição deste ano «funcionou muito melhor do que se tinha previsto e foi a melhor dos últimos quatro anos». O director comercial salientou de igual forma que «os visitantes desta convocatória vieram para trabalhar e não para passear, como acontecia muitas vezes nas edições anteriores». No sector dos acessórios, os resultados também foram positivos, superando as expectativas iniciais. Assim o afirmou Begoña Garriz, directora comercial da Yokana, para quem «a feira esteve mais animada que outros anos e, para além disso, conseguimos fazer clientes novos». A mesma sensação de optimismo moderado nota-se no sector das peles, representado no salão. Jorge Martinez, co-proprietário da empresa J&M, mostrou-se relativamente contente com os resultados. «Correu bastante melhor do que esperávamos, mas as encomendas foram inferiores a outras edições. O desaparecimento de um grande número de estabelecimentos e a redução das despesas também teve os seus efeitos neste sector», assegurou. Esta edição da SIMM contou com a presença das marcas portuguesas Jopel (Confecções Jopel), Kalisson (Givec), Prodigy (Henrique & Oliveira), Onara (Onara), Lobon/Phillipe Olivier (Santos Camiseiros), Dielmar (Sociedade Industrial Confecções Dielmar, SA), Antonio Miró (Sociedade Industrial Confecções Dielmar, SA) e Loco Luxo (Loco Luxo Importação Exportação, Lda) que estiveram integradas na iniciativa conjunta da associação ANIVEC-APIV. A IFEMA começou já a trabalhar na próxima convocatória da SIMM, cuja celebração está prevista para os dias 16, 17 e 18 de Julho, onde se apresentarão as novidades em moda e acessórios para a próxima Primavera-Verão 2009/2010. O país que se segue ainda não foi confirmado. Contudo as hipóteses recaem sobre a Argentina ou a Itália.