Início Arquivo

Situação nos EUA agrava crise têxtil

Espera-se que o mercado têxtil mundial entre em crise depois dos ataques terroristas que destruíram o World Trade Center, em Nova Iorque, adianta o website Emerging Textiles.com. Apesar de ser difícil prever o impacto deste desastre, este pode fazer diminuir o comércio de vestuário por parte dos EUA, pelo menos num período próximo, levando assim à diminuição da importação de têxteis e vestuário. Nos próximos dias a economia americana será abalada, depois das linhas aéreas terem sido fechadas e os portos bloqueados para permitir à guarda costeira a inspecção de contentores. O centro de negócios de NY foi encerrado e a venda de algodão foi suspensa, só será retomada hoje após a abertura da Bolsa pelas 14h30m, hora portuguesa. A Austrália, na passada Terça-feira, suspendeu as vendas de lã através de leilões, que espera-se, sejam retomadas ainda hoje. Um grande número de lojas e escritórios fecharam as suas portas na Terça-feira. Em NY, a cadeia sueca Hennes & Mauritz decidiu fechar “por enquanto” as três lojas. Também a GAP fechou as suas lojas, mesmo estando a ter um decréscimo nas vendas. A América tem vindo a atravessar uma situação económica menos favorável que irá agravar-se com os acontecimentos de Terça-feira, reduzindo dramaticamente a confiança do consumidor. As acções estão a cair, reduzindo ao mesmo tempo o consumo. Mesmo estando prevista uma recessão, os economistas acreditam numa recuperação a curto prazo. O crescimento do PIB nos EUA foi reduzido para uma taxa de 0.2% no período de Abril-Junho e será afectado por esta crise. A importação de vestuário aumentou lentamente nos primeiros 6 meses e este abrandamento pode agora ser agravado. Em São Salvador, onde as encomendas diminuíram, os fabricantes prevêm dificuldades adicionais mesmo gozando o país de um tratamento preferencial sob o CBTPA (Caribean Basin Trade Partnership Act). Outros países poderão encontrar fortes dificuldades, tal como o Bangladesh, onde uma série de fábricas de vestuário foi já fechada devido ao abrandamento da economia Norte americana. As negociações de comércio americanas podem atrasar-se enquanto Washington se concentra em questões de foro político. O senado americano deveria aprovar nos próximos dias um acordo de comércio com o Jordão. A próxima assembleia da OMC poderá também ser adiada em consequência dos atentados devido aos preparativos para possíveis retaliações dos EUA. Vários países desta organização serão convocados para assistirem a uma reunião decisiva agendada para Novembro em Doha, no Qatar.