Início Notícias Tecnologia

Smartex convence Casa da Malha

A solução da empresa tecnológica para detetar defeitos na fase da tricotagem está a ser implementada na Casa da Malha, empresa especialista em malhas técnicas e funcionais, depois de um projeto piloto bem-sucedido.

[©Casa da Malha]

«Estamos extremamente satisfeitos com este sistema inovador implementado pela Smartex», afirma Carlos Dias, proprietário da Casa da Malha, na notícia publicada pela Smartex no seu website. «Além da Smartex estar perfeitamente alinhada com os nossos principais pilares de inovação, qualidade e sustentabilidade, esta colaboração permite-nos potenciar a nossa posição neste mercado altamente competitivo e em constante crescimento», sublinha.

O sistema, revela Carlos Dias, «evitou grandes perdas na nossa cadeia produtiva, pelo que, obviamente, pretendemos dar continuidade a esta promissora parceria e abranger todo o nosso sistema produtivo, garantindo assim os elevados padrões de qualidade que sempre nos propomos a oferecer aos nossos clientes».

Para Smartex, «esta parceria exemplifica como a Casa da Malha investe em tecnologia de ponta, na sofisticação de processos e sempre a melhorar a qualidade de produção», sendo um motivo adicional para Gilberto Loureiro, CEO e um dos cofundadores da empresa tecnológica, confessar que «estamos felizes por termos concluído um piloto de sucesso e agora estarmos a trabalhar ao lado da Casa da Malha, a abrir um precedente cá em Portugal e na Europa de uma fábrica supermoderna e eficiente».

Desperdício evitado

[©Casa da Malha]
O sistema, que usa hardware e software baseado em inteligência artificial (IA), vai permitir fazer a inspeção de todas as malhas produzidas pela Casa da Malha, medir o impacto ambiental e controlar completamente a produção da empresa. De acordo com os dados avançados pela Smartex, o projeto piloto implementado na Casa da Malha, que decorreu entre 1 de abril e 1 de setembro, permitiu evitar o desperdício de 1.858 quilos de malha, de 208.170 litros de água e de 16.728 kWh, assim como a emissão de 4.165 quilos de CO2.

A Casa da Malha, que esteve presente pela segunda vez na Première Vision, em julho, e, mais recentemente, na Munich Fabric Start, é, segundo a informação disponibilizada no seu website, especialista no desenvolvimento de malhas técnicas, funcionais e confortáveis, com «soluções à medida das necessidades dos nossos clientes», para as quais utiliza diferentes matérias-primas. «Nas nossas instalações é feita tricotagem nas 24 horas do dia, sendo que temos uma equipa dividida em três turnos no sentido de oferecer soluções rápidas e eficazes. Temos uma zona de produção ampla com teares circulares de última geração, eletrónicos e mecânicos, capazes de transformar vários tipos de fibras (naturais e sintéticas) em diferentes estruturas de malha como jersey, piqué, felpa, interlock, rib, favo, entre outras», descreve.

A Smartex, que se apresenta como uma empresa que «resolve problemas fundamentais que afetam a indústria têxtil global por meio de soluções baseadas em IA que eliminam o desperdício na origem do processo de fabricação têxtil», tem vindo a crescer, com o seu sistema a ser adotado por tricotagens de países como Itália, Turquia, Paquistão e Uzbequistão. Em Portugal, a solução foi já adotada pela Familitex, Impetus e Tintex.

[©Casa da Malha]