Início Arquivo

Solução à vista para a Gartêxtil

A empresa têxtil da Guarda Gartêxtil, encerrada desde Junho da ano passado, poderá reabrir em finais de Outubro ou Novembro. Com efeito, a Caixa Geral de Depósitos (CGD) e Francisco Cabral, proprietário da Carveste, chegaram, finalmente, a um acordo. No entanto, ignora-se quantos dos 190 postos de trabalho a empresa deverá manter, já que os seus operários ainda continuam à espera de uma solução. Segundo declarações feitas ao Público, o acordo estabelecido entre a CGD e Francisco Cabral prevê que seja fixada uma parte da taxa a 0%, enquanto que uma segunda parte respeitará o que é praticado no mercado e a restante será indexada à Lisbor. Contudo, para que a empresa consiga atingir os seus objectivos, será imprescindível que obtenha apoio através do Plano Integrado da Beira Interior. Recorde-se que a Gartêxtil encontra-se, desde este ano, sujeita a um plano de gestão controlada, que vigorará por um ano e meio. Aliás, esta solução já tinha sido adoptada em Março de 1998, mas sem sucesso. Quatro anos depois, no início de Junho, os cerca de 190 trabalhadores da empresa não puderam continuar a laborar. Desde então têm-se multiplicado as iniciativas para avançar as negociações com vista à sua reabertura. Por fim, a boa vontade de ambas as partes acabou por imperar e agora os operários da Gartêxtil aguardam impacientemente a sua reincorporação ao trabalho.