Início Arquivo

Sportzone compra quatro lojas da Intersport em Portugal

A Intersport está a desistir de investir em Portugal. O grupo cuja sede está na Suíça, está em processo de venda de quatro das 11 lojas que possui no mercado nacional à Sportzone, participada do grupo Sonae para este segmento de actividade, noticia o Diário Económico. A divisão espanhola da multinacional suíça não adiantou pormenores sobre o negócio, mas o Diário Económico apurou que vai ser realizado por trespasse. «Esse é um processo interno. De momento não temos qualquer comentário a fazer pelo que se mantém tudo o que já é do conhecimento público», referiu uma fonte da Intersport Espanha, responsável pelos negócios em Portugal. Uma fonte ligada à Sonae, confirmou o negócio, tendo escusado também a adiantar mais pormenores. Fundada em 1968, com a união entre dez centrais de compras europeias ligadas aos artigos de desporto, a Intersport apresenta anualmente vendas de mil milhões de contos (cinco mil milhões de euros) no mundo inteiro. O grupo está presente em cerca de 16 países, através de 4.300 lojas. A maior parte do volume de negócios é gerado na Europa, com 80%, sendo os restantes 20% divididos entre o Japão e a América do Norte. A Intersport está agora a posicionar-se nos mercados do leste europeu, a par da Península Ibérica onde possui 200 lojas só em Espanha. A Sportzone, detida a 100% pela Sonae, surgiu em 1997 propondo-se a investir até 2001, cerca de 7,9 milhões de contos na abertura de lojas em Portugal e Espanha. No entanto a operação no mercado espanhol não correu como o esperado, com a as três lojas (Málaga, Valência e Sevilha) a acumularem prejuízos operacionais de meio milhão de contos, contra uma facturação de apenas 800 mil contos. O grupo de Belmiro de Azevedo mantém negociações com algumas das grandes cadeias presentes naquele país para vender as referidas lojas. Contrariamente, em Portugal a empresa está a conseguir atingir os seus objectivos, com os números referentes a 1999 a revelarem uma facturação de cerca de 7 milhões de contos, contra os 3 milhões de 1998 e as previsões para 2000 a apontarem para os 10 milhões.