Início Arquivo

Taiwan beneficia da proximidade à China – Parte 1

O acordo assinado no final de 2008 para permitir os voos regulares entre as principais cidades de Taiwan e da China representa uma profunda evolução no estreitar das relações e o fim de 59 anos de divisão. A visita de Chen Yunlin, presidente da associação chinesa responsável pelas relações com Taiwan, no início de Novembro, também fomentou o ritmo dos novos acordos que abrangem: transportes, comércio e comunicações e palestras sobre o sector financeiro. Estes acordos vão permitir que pessoas, mercadorias e correio se movimentem directamente entre os dois países, em vez de recorrerem a intermediários, ajudando a dinamizar a economia de Taiwan durante o actual abrandamento económico internacional. O estreitar dos laços com a China continental deverá também fomentar o sector têxtil e de vestuário em Taiwan. Diversas empresas têxteis possuem unidades de produção na China, e as marcas de vestuário estão agora orientadas para o mercado chinês, com quem partilham a história, a língua e a cultura. Por exemplo, a Makalot tem planos para penetrar no mercado chinês através da Internet. Possui uma fábrica na China para abastecer marcas internacionais, bem como lojas em Taipei para as suas marcas “Pica Pica” de sportswear e “Pandora Box” de vestuário íntimo. O “descongelar” das relações será definitivamente benéfico para o desenvolvimento da sua actividade no continente. Ao longo das duas últimas décadas, a indústria têxtil de Taiwan tem-se orientado de forma segura no sentido dos têxteis funcionais, oferecendo recentemente soluções de têxteis ecológicos para lidar com o problema do aquecimento global. Actualmente, Taiwan é reconhecido como um líder nestas duas áreas especializadas. A economia de Taiwan foi fundada com base no sector têxtil e do vestuário, mas a escalada no custo do trabalho ao longo da década de 1990 levou muitas empresas a deslocar a sua produção para a China, para o Sudeste da ásia ou para a América Central. Actualmente, indústria têxtil e do vestuário representa apenas 3,6% do total da produção de Taiwan, contando oficialmente com 5.491 empresas que empregam 186.228 trabalhadores. Ao longo dos últimos anos, as exportações de têxteis e vestuário têm visto a sua quota, no total das exportações do sector industrial, cair dos 8% (em 2003) para os 5% (em 2007), com um valor de 11,6 mil milhões de dólares. Os tecidos foram responsáveis pela maioria destas exportações, representando 59% do total, seguidos pelas fibras e fios (19%) e pelo vestuário (9%). No passado, Hong Kong era o principal destino dos produtos têxteis de Taiwan, mas em 2007 a China tomou pela primeira vez a liderança, tornando-se no principal mercado de exportação, seguida de Hong Kong, EUA, Vietname e Indonésia. Em termos de valor, e considerando como base o ano de 2003, as exportações de Taiwan aumentaram 84% para a China, 74% para o Vietname, 10% para a Indonésia, 35% para Hong Kong e 32% para os EUA. Na segunda parte deste artigo vamos analisar as medidas desenvolvidas pelos responsáveis sectoriais no sentido da reconversão da indústria têxtil e do vestuário em Taiwan.