Início Notícias Têxtil-Lar

Teamstone avança com homewear sustentável

A empresa está a programar uma linha mais “verde”, onde constarão pijamas que serão apresentados na próxima edição da Première Vision, graças à parceria com a fiação Arifil, que representa em Portugal. Um passo importante da Teamstone para proteger o planeta e expandir, ainda mais, os negócios além-fronteiras.

Dina Alemão

A procura por matérias-primas mais sustentáveis “explodiu” em 2019, mas para a Teamstone não é novidade. A empresa há mais de uma década que representa fios ecológicos, nomeadamente com fibras recicladas, a partir dos quais produz têxteis-lar e homewear. Atualmente, tem na sua oferta fios da Arifil e da Hilaturas Ferre, que representa em Portugal, com matérias-primas como algodão e poliéster reciclados, algodão orgânico ou a viscose EcoVero, da Lenzing.

«Todas as grandes marcas têm um target de sustentabilidade», afirma Dina Alemão, administradora da Teamstone, juntamente com Luís Alemão, que revela que marcas como Tommy Hilfiger, Armani, Benetton e Inditex estão empenhadas em comprar fios reciclados. «O algodão orgânico necessita de mais água do que o algodão normal. Evita produtos químicos mas precisa de muita água», revela ao Portugal Têxtil.

É aí que entram fios como o Recover, da Hilaturas Herre, que a Teamstone representa em Portugal. «Parte da composição tem algodão reciclado – não há tingimento, zero água, zero químicos… É um processo mecânico. A sustentabilidade é total», explica Luís Alemão.

É com base nestes fios que a Teamstone está a preparar uma nova coleção de homewear, incluindo pijamas, onde irá usar a oferta da Hilaturas Herre e da Arifil. Esta última, de resto, estará pela primeira vez na Première Vision Paris, de 11 a 13 de fevereiro, e deverá ter, ao lado dos cones de fio, as propostas de produto acabado da empresa portuguesa. «Vou juntar o pijama ao banho e utilizar outras cores e composições, porque com a Arifil é possível ter uma composição mais alargada», adianta Dina Alemão.

Adaptar ao mercado

Este lado mais “verde” esteve já em destaque na Maroc in Mode, onde a Teamstone mostrou sobretudo felpos. Marrocos é um dos 10 mercados da empresa, que vende também para Espanha, França, Finlândia, Inglaterra, EUA, Suíça, Grécia, Chipre e Itália. «80% das nossas vendas são exportação, mas em 2019 as coisas mudaram um bocadinho – não baixamos a exportação, mas aumentámos a importação de fio», admite a administradora.

A empresa, que emprega cinco pessoas diretamente, 50 pessoas indiretamente na área do homewear e mais umas 80, também indiretamente, na área dos felpos, tem prosperado com clientes da hotelaria e também players das vendas online. «Vendo diretamente para um cliente que faz distribuição para as vendas online, nomeadamente na Alemanha e na Bélgica», indica Dina Alemão. «Também tenho os supermercados e as cadeias de lojas, que me permitem ser um bocado criativa, porque fazem um mix de artigos dentro dos têxteis-lar», acrescenta a administradora.

Fundada em 2003, a Teamstone acredita que um dos segredos para as empresas do sector é a adaptabilidade às condições externas e é isso que tenciona continuar a fazer. «O mercado dá muita volta, nós é que temos de ter a capacidade de nos adaptarmos aos mercados», sublinha Dina Alemão.