Início Arquivo

Tearfil privilegia a I&D em fios técnicos

A empresa alemã Zimmer desenvolveu uma nova fibra a partir de algas – a Seacell, que integra os benéficos princípios activos destas. Segundo revela o Journal du Textile, apenas cinco fiações europeias, de origem italiana, suíça e espanhola, detêm o exclusivo de utilizar a nova fibra para produção de fios. No entanto, nada está mais longe da verdade, pois de acordo com Luís Xavier, responsável pela I&D do Produto «a Tearfil lançou já em Outubro do ano transacto um novo fio com Seacell, sobre o qual a nossa unidade de I&D já trabalhava há mais de um ano». O novo fio, composto por 77% de algodão penteado e 23% de Seacell, é produzido numa gama de fios que varia entre 16 e 40 Ne. Os tecidos e malhas fabricados com estes fios difundem os princípios activos das algas, favorecendo nomeadamente a cicatrização de feridas e a circulação sanguínea. Deste modo, os fios são bastante vantajosos para têxteis médicos e artigos de desporto, mas podem também ser aplicados em vestuário hospitalar, meias e roupa interior. Todavia, em matéria de inovação, a empresa nacional não fica por aqui, pois dispõe ainda de um vasto leque de outros novos fios com elevada tecnicidade, que têm sido activamente desenvolvidos nestes últimos dois anos. Com efeito, uma outra novidade da Tearfil é o fio fabricado a partir das fibras Lempur. Estas fibras, de carácter ecológico, provêm de madeiras especialmente cultivadas e seleccionadas. O vestuário produzido a partir de fios com fibras Lempur é dotado de propriedades anti-stress e termo-reguladoras, mantendo-se fresco no Verão e quente no Inverno. Além disso, as suas capacidades de permeabilidade e de absorção de humidade permitem criar uma superfície seca em harmonia com a temperatura corporal. Os fios com Lempur podem ser utilizados em malhas finas e médias, meias, camisaria ou têxteis-lar. Os tecidos e malhas resultantes protegem o utilizador também contra campos electromagnéticos e proporcionam uma agradável sensação de conforto e bem-estar. Outra das grandes novidades da empresa são os fios com fibras Bioactive, fiados em misturas com algodão ou modal. Estes fios são caracterizados pelas suas propriedades anti-alérgicas, anti-bacterianas e anti-fúngicas. Deste modo, são bastante apropriados para o fabrico de meias, de roupa interior, assim como para vestuário e têxteis-lar hospitalares. Refira-se, a título de informação, que a legislação inglesa obriga, em áreas profissionais que requeiram grandes esforços, as empresas a fornecer aos seus funcionários duas fardas de trabalho com características bio-activas. A Tearfil desenvolveu ainda um fio composto por fibras anti-UV de origem celulósica, que podem ser misturadas com algodão, poliamida, caxemira ou até com lã. Como estes fios permitem uma boa protecção contra a radiação ultra-violeta, são bastante úteis para t-shirts ou roupa de criança. Ainda no campo dos fios técnicos, a empresa de fiação também desenvolveu fios a partir de fibras Flame-Retardant, de acrílico modificado. Estes fios, com propriedades anti-fogo, são extremamente vantajosos para estofos de automóveis, artigos para decoração de locais públicos, vestuário de bombeiro ou ainda para fatos de competição automóvel. «O nosso futuro têxtil passa obrigatoriamente pelo desenvolvimento de inovadores produtos com características mais técnicas», declara Luís Xavier. «Consideramos que este leque de novos fios representa um bom prelúdio de trabalho em produtos de maior valor acrescentado», adianta ainda. Mas as novidades da Tearfil não se limitam a produtos de carácter técnico. No âmbito de produtos mais voltados para a moda, a empresa lançou ainda em Dezembro passado um cartaz de 48 cores de mesclas Lyocell/algodão, representativas das tendências para a estação Outono/Inverno 2004-2005.