Início Destaques

Tearfil renova imagem

A Tearfil apresentou-se na Première Vision Paris com um logótipo que valoriza os fios e, ao mesmo tempo, revela a vontade de contribuir para a colaboração e ligação da indústria. Uma política já posta em prática pela especialista em fiação, que no espaço dedicado aos fios do salão francês mostrou propostas sustentáveis e uma coleção com artigos completamente rastreáveis.

Marla Gonçalves

Um T “torcido” é agora a imagem de marca da Tearfil e consta já de todos os elementos de comunicação da empresa, dentro e fora de Portugal. «O conceito do T é uma analogia ao processo de fiar, que é o entrelaçar das fibras. Mas é também o fundamento daquilo que nós acreditamos na Tearfil: a colaboração entre as empresas», explica Marla Gonçalves, diretora comercial e de marketing da produtora de fios.

O novo website da Tearfil – que está a reforçar a sua comunicação online, incluindo nas redes sociais – confirma esta vontade de interligar os diferentes atores da indústria. «Lançámos uma área sobre parcerias onde mencionamos todos os nossos principais parceiros, fornecedores de fibras e institucionais», revela ao Portugal Têxtil.

Deste trabalho colaborativo, nomeadamente com a Remei, nasceu já uma coleção de artigos com algodão rastreável. «Estamos aqui a garantir que o algodão é plantado na Tanzânia e que é entregue em Portugal isento de GMOs (organismos geneticamente modificados) e certificado GOTS», sublinha Marla Gonçalves.

A sustentabilidade, de resto, está no cerne das preocupações da especialista em fiação, que para demonstrar isso levou para a Première Vision um saco especial para oferecer aos seus clientes. «É produzido com os resíduos da fiação. Recuperamos as fibras, o desperdício do processo de fiar, e criamos um fio novo», adianta a diretora comercial e de marketing.

A Tearfil criou ainda a Reuse Collection, que usa o mesmo princípio de «pôr fim ao nosso próprio desperdício». Esta coleção é complementada com a oferta das coleções Recycle, Naturally Connscious, Infini e Rainbow, fruto de uma estratégia baseada na «produção responsável. Mais reutilização, redução de desperdício – acho que isso é a verdadeira produção responsável», destaca Marla Gonçalves.

Distinção do Instituto Kaizen

Ainda antes de ter sido adquirida por Maria de Belém Machado ao grupo MoreTextile, a empresa foi distinguida pelo Instituto Kaizen em Portugal pela Excelência na Qualidade na categoria PME, graças à implementação de um projeto lean para redução do desperdício técnico da fiação e do stock de produto acabado – que diminuiu 18%. Ou seja, «promover a rotatividade de stock de produto acabado com o objetivo de melhorar o nível de serviço aos nossos clientes. Esse é o objetivo primário: o foco no cliente», refere.

Depois da presença na Première Vision, que «superou as nossas expectativas», a Tearfil está agora a analisar a potencial presença noutros certames internacionais, como a ISPO Munich ou a Performance Days. «A primeira experiência que tivemos numa feira dedicada a têxteis técnicos e funcionais foi a Techtextil, no ano passado, e vamos repetir a experiência no próximo ano porque de facto teve consequências, conseguimos tirar proveito e já temos resultados. Estivemos em janeiro a visitar a Ispo Munich para fazermos uma prospeção e ver se faz sentido participarmos. E também vamos visitar a Performance Days em abril. Depois vamos fazer um briefing na empresa e decidir», conclui.