Início Notícias Têxtil

Techtextil a postos para a descolagem

5, 4, 3, 2, 1… A contagem decrescente para a abertura da feira de têxteis técnicos e não-tecidos já começou. A partir do próximo dia 9 de maio, Frankfurt reúne quase 1.500 expositores de todo o mundo, numa edição que, além das novidades do sector, incluindo dos 25 expositores portugueses, vai explorar a vida no espaço.

Durante quatro dias, até 12 de maio, a Techtextil faz as malas com os materiais e tecnologias necessários para uma vida no espaço. A exposição “Living in Space”, organizada em parceria pela Messe Frankfurt, a Agência Espacial Europeia e o Centro Aerospacial da Alemanha, irá mostrar os materiais têxteis e as tecnologias de processamento num ambiente espacial, onde não faltará um veículo original Mars Rover e uma viagem virtual a Marte. «Em cooperação com os nossos parceiros e expositores, criamos uma área de informação e entretenimento, que nunca antes foi vista na Techtextil e na Texprocess», sublinha Michael Jänecke, diretor de têxteis técnicos e processamento têxtil na Messe Frankfurt, que no passado mês de fevereiro esteve no Porto a fazer a antevisão do certame (ver Techtextil aquece motores).

Já com os pés em terra, será possível ainda para os milhares de visitantes (na edição de 2015 foram cerca de 42 mil) conhecer as novidades de têxteis técnicos e não-tecidos de 1.478 expositores para áreas como arquitetura, urbanismo, agricultura, saúde, energia, vestuário, logística e transportes.

Paralelamente, durante os quatro dias, realiza-se o Simpósio Techtextil, onde serão abordados temas como novas fibras e têxteis, Indústria 4.0, economia circular e sustentabilidade, têxteis inteligentes e compósitos. Stefan Seibel, CEO da SGL Group Fisipe é um dos oradores, com uma intervenção sobre o contributo das fibras acrílicas para a sustentabilidade e conservação de recursos (dia 9 de maio, às 16h50), enquanto Braz Costa, diretor-geral do Citeve, irá moderar um painel sobre economia circular e sustentabilidade (dia 10 de maio, às 14h). Gilda Santos, do Citeve, irá abordar a solução de camuflagem têxtil funcional para militares e novos materiais têxteis para a redução da assinatura térmica (dia 11, a partir das 11h30), António Marques do CeNTI irá explicar a integração de estruturas de fibras e fios eletroativos e capacitivos no interior de automóveis, João Gomes, também do CeNTI irá fazer uma apresentação sobre estrutura têxtil embebida em dispositivos eletrónicos para uma nova geração de guarda-sóis (ambas também no dia 11 de maio, a partir das 15h20).

Inovação “made in Portugal”

De Portugal está confirmada a presença de 25 expositores, com as estreias da Island Cosmos, da Inovafil, da Sedacor e da Tintex.

«Sendo esta a primeira presença na Techtextil, a Inovafil leva naturalmente grandes expectativas, sendo este um passo importante na consolidação do seu cariz inovador», afirma Rui Martins, administrador da empresa, ao Portugal Têxtil. «A presença nesta feira vai permitir o contacto com clientes, sentir o mercado dos têxteis técnicos, potenciar futuras parcerias e dar o mote para o lançamento da linha de produtos técnicos», acrescenta. Entre as propostas, a Inovafil leva a Frankfurt fios com retardantes de chama e antiestáticos e misturas e efeitos destinados ao conforto e moda para workwear, enquanto na área Sports & Wellness estarão em destaque funcionalidades como gestão de humidade e proteção solar, assim como fibras de cariz ecológico, como as urtigas e cânhamo (ver Inovafil fia urtigas).

Na Tintex, o destaque na estreia estará na linha Cork Coating – produtos com base natural e revestidos com desperdício pós-industrial de cortiça, um dos quais foi já distinguido na Munich Fabric Start (ver Tintex premiada em Munique). Mário Jorge Silva, administrador da empresa, destaca ainda, em declarações ao Portugal Têxtil, «a linha dos interativos Thermosensitive e UV Sensitive, bem como a linha de tecidos funcionais em composições que têm por base fibras recicladas e/ou orgânicas ou são sujeitos a tingimentos com extratos naturais – Colorau». Para Mário Jorge Silva, esta primeira presença em Frankfurt faz sentido agora, depois da experiência que a empresa acumulou nos últimos dois anos, altura em que se lançou «verdadeiramente» no mercado dos têxteis técnicos e funcionais. «Inovação, performance, sustentabilidade e moda são fatores intrínsecos à identidade da Tintex. Consideramos esta feira um dos espaços naturais para a apresentação da nossa oferta. Correspondemos em termos de inovação e performance, surpreendemos pela abordagem sustentável e moda do produto», acredita.

Entre as presenças habituais, a A. Sampaio & Filhos irá destacar a marca de materiais certificados Protection+. «É composta por diversas gamas, destinadas a proteção contra calor e chama, proteção electroestática, proteção contra os efeitos térmicos de um arco elétrico, entre outras funcionalidades», explica o administrador João Mendes ao Portugal Têxtil. A oferta da empresa irá também contemplar malhas destinadas a lavandaria industrial, com «mais funcionalidades para este segmento de mercado», aponta João Mendes. «Este é um mercado que exige muita investigação e muito investimento. Felizmente, os clientes estão a reagir bem e estamos bastante otimistas para esta presença», sublinha o administrador.

A Foot by Foot, por seu lado, tem como objetivos para esta edição a «consolidação da nossa posição nos vários mercados europeus para os quais já exportamos, bem como o alargamento a novos mercados», revela o administrador da empresa, António Pereira, ao Portugal Têxtil. Para isso, a empresa vai apostar nos têxteis personalizáveis, pensados para pequenos grupos de consumidores, mas também em soluções mais sustentáveis. «Atualmente é possível incorporar na construção dos têxteis, funções que desempenhem um papel relevante seja ao nível do desempenho da sustentabilidade ecológica, durabilidade, moda, design, etc.», afirma, dando como exemplo «o crescente volume de resíduos hospitalares, que se assumem como um enorme problema para este sector, especificamente na área da proteção da cama. Com a criação de produtos “biodegradáveis”, teremos uma diminuição das necessidades de tratamentos de resíduos e consequentemente menores impactos ambientais», indica.

A presença nacional fica concluída com a ESAD (Escola Superior de Artes e Design). A instituição portuguesa irá participar na segunda edição do Innovative Apparel Show, que irá mostrar criações nas categorias de efeitos têxteis, engenharia criativa e moda inteligente. Para além da ESAD, participam também a Esmod Paris, de França, a Accademia Italiana, de Itália e a Hochschule Trier, da Alemanha.