Início Destaques

Tectex salta do calçado para os têxteis de performance

Ex-Foot by Foot, a Tectex deu largos passos no reposicionamento e hoje assume-se como uma empresa especialista em têxteis de performance. Com os têxteis-lar na linha da frente, a produtora de tecidos laminados e revestidos adquiriu recentemente uma nova máquina que permite laminar à peça artigos mais rijos.

Nuno Pereira

Fruto do crescimento no segmento têxtil, a ex-Foot by Foot tem vindo a pôr em prática um conjunto de mudanças iniciadas em 2010, com a criação da marca Tectex, numa altura em que a atividade principal deixou de ser o calçado.

Este ano, a empresa apostou num «rebranding, passou a comunicar mais a marca e adicionou o slogan Performance Fabrics, porque os têxteis de performance são aquilo que fazemos», revela Nuno Pereira.

Como forma de intensificar a comunicação, foi lançado um novo site que é «o resultado de toda a evolução da Tectex nos últimos anos», afirma o diretor técnico. O site está dividido em quatro áreas de atuação, «onde apresentamos os nossos produtos e onde segmentamos 12 linhas de produtos diferentes», explica ao Portugal Têxtil.

A nova plataforma tem também uma ênfase muito grande na inovação e na sustentabilidade, que são os dois pilares do desenvolvimento da empresa. «Queremos melhorar a performance dos produtos que utilizamos, com materiais convencionais e materiais bio ou reciclados», destaca Nuno Pereira. Um dos grandes objetos da Tectex é, no futuro, conseguir desenvolver «têxteis com a mesma performance, mas utilizando materiais mais amigos do ambiente», adianta.

Ao longo destes anos recentes, a especialista no desenvolvimento, produção e comercialização de têxteis técnicos revestidos e laminados deixou de ser só uma prestadora de serviços e passou a criar têxteis multifuncionais, «que representam quase 80% daquilo que vendemos», assegura o diretor técnico.

Têxtil-lar mantém-se a força-motriz

Os têxteis-lar continuam a ser o motor de crescimento da empresa, que exporta 30% das suas soluções inovadoras, sobretudo para mercados europeus como Espanha, França, Alemanha e Bélgica. «O objetivo é aumentar e ultrapassar os 50% até ao final de 2025», assume Nuno Pereira.

Recentemente, a Tectex investiu numa nova tecnologia «que vem complementar o nosso parque tecnológico e, com esta máquina, posso dizer que estamos equipados para laminar praticamente todo o tipo de materiais», garante o empresário. A nova máquina é mais flexível e permite laminar, à peça, materiais mais rijos.

Com um efetivo de 25 pessoas, a empresa sediada em Felgueiras conseguiu alcançar, em 2021, um volume de negócios de aproximadamente 3,5 milhões de euros. O ano anterior, considerado atípico e «extraordinário» para a Tectex, chegou aos 4,8 milhões de euros, a melhor faturação de sempre, graças à conversão da empresa em artigos têxteis para o sector hospitalar. «Em março de 2020 conseguimos responder às necessidades da altura e entregar logo batas cirúrgicas», indica o diretor técnico.

Para este ano, a meta é atingir «um valor perto dos quatro milhões de euros com os têxteis Tectex», que estarão em exibição nas feiras Techtextil e Heimtextil, que decorrerão, em paralelo, de 21 a 24 de junho.