Início Notícias Tendências

Tendências de 2019 recuaram no tempo

Com a nostalgia de 1998 de volta ao presente, a plataforma de moda Lyst revelou as tendências mais procuradas do ano. As marcas de luxo Bottega Veneta e Gucci ocupam o pódio.

Como se tem verificado até ao momento, a moda em 2019 foi marcada pelas tendências nostálgicas de 1998. Dos crop tops aos slip dresses e dos saltos quadrados aos jelly shoes as opções da década revelaram-se infinitas.

A partir de uma análise a 104 milhões de consumidores, o relatório “Year in Fashion” da Lyst compilou as consultas, visualizações e o índice de vendas de seis milhões de produtos e de 12 mil lojas online. Tendo em conta a cobertura dos media e as redes sociais, a plataforma de pesquisa de moda divulgou as tendências mais procuradas de 2019.

Baguette (Fendi)

A bolsa “baguette” da Fendi, estampada com o logótipo da marca italiana e fivela proeminente, provou ser um dos artigos que voltaram a emergir mais populares. Considerada pequena e elegante, a bolsa de noite chegou às lojas em 1997 e, logo depois da aparição no filme “Sex and the City”, tornou-se um ícone para o público feminino. De acordo com os analistas da Lyst, as pesquisas pelo modelo emblemático da Fendi aumentaram 138% ao ano. No entanto, o lançamento da versão para homem também foi um sucesso para o público masculino e esgotou em vários retalhistas.

No que diz respeito às tendências de moda na era pré-Y2K, o calçado foi o vencedor, uma vez que as socas desfilaram por várias passerelles, principalmente nos meses de verão. A procura pelas botas de plataforma com cordões da marca Dr. Martens aumentou 88% em 2019 e foi o mote de inspiração para vários modelos de calçado similares de outras marcas.

No segundo trimestre, a marca outdoor Teva impulsionou as pesquisas na Lyst depois da colaboração estabelecida em abril com a designer de moda Anna Sui. Para os jelly shoes registou-se o mesmo panorama favorável no mês de abril, com a procura a crescer 82% de mês a mês.

Liderança de luxo

Como não podia deixar de ser, o estilo clássico e algumas marcas de luxo tradicionais continuam a conquistar os consumidores.

Multi-Pochette (Louis Vuitton)

Exemplo disso é a conhecida Bottega Veneta que liderou a lista em primeiro e segundo lugar com a bolsa “The Pouch” e as sandálias “Strech”, respetivamente. A bolsa da marca de luxo angariou 10 mil visualizações mensais desde o lançamento do artigo na primavera que, consequentemente, fez disparar 297% as visualizações no site da Lyst em setembro. Já as pesquisas pelas sandálias saltaram 417% durante o mês de julho.

A ocupar o terceiro lugar na classificação está o famoso cinto da Gucci com o logótipo GG que garante a venda de dois artigos no website a cada minuto. A miniatura “Le Chiquito” da Jacquemus, uma das bolsas preferidas da cantora Rihanna, gerou mais de 20 mil visualizações na Lyst durante o verão, com as pesquisas a aumentar 130% no mês de maio. Em quinto lugar está o “Bucket Hat” da Prada, que esgotou várias vezes no site. Também a esgotar em poucos dias com o lançamento de outubro, está a bolsa “Multi-Pochette” da Louis Vuitton, que ocupa a sexta classificação na lista dos artigos mais procurados.

Sapatilhas (Alexander McQueen)

Os últimos quatro lugares foram ocupados pela Ganni com um vestido seersucker a assinalar a sétima posição na lista, pela Sandy Liang em oitavo lugar com um casaco de lã, pela Weekday com as jeans “Row Sky” no nono lugar e, no fim da lista e o único artigo masculino presente, a bolsa “Supreme Messenger” da Gucci com a procura a aumentar 44% ao ano.

Para contrariar as expectativas, os ténis unissexo mais desejados do ano não foram modelos exclusivos da Yeezy ou da Nike, mas sim os ténis oversized Alexander McQueen. Na plataforma de moda Lyst os ténis foram pesquisados a cada dois minutos não fossem eles, de acordo com os analistas, os ténis mais vendidos da marca como se pode comprovar pela utilização abundante do artigo por muitos influenciadores digitais.