Início Arquivo

Texmed em grande

Esta edição acontece num momento em que ainda existem alguma tensão e incerteza políticas que travam a retoma do sector tão desejada pelas autoridades tunisinas. Os investimentos estrangeiros, num país onde as empresas têxteis com capital misto ou estrangeiro predominam, regrediram nos primeiros sete meses do corrente ano. Além do mais, o sector, grandemente vocacionado para a exportação, não foi poupado pela crise económica europeia. É para contrariar este contexto conturbado que as entidades organizadoras do Texmed decidiram implementar um novo conceito. O salão, que espera cerca de 250 expositores – entre os quais uma delegação apoiada pela Selectiva Moda e que inclui o Citeve, Lipaco, Rampa Fio, Rendibor, Solinhas e Ultra Creative – e 3.000 visitantes, vai apresentar cinco áreas profissionais: Moda, para o vestuário em geral; Aprovisionamento, para os materiais e acessórios; Pro para o vestuário profissional e técnico; Serviços para os serviços ligados à confeção; e Jovens Designers. Um modelo mais moderno, mais transversal, que permite apresentar uma oferta completa de vestuário em subcontratação, cocontratação e produtos acabados, tecidos, acessórios, tecnologias e serviços. Em paralelo, uma nova abordagem de encontros entre compradores e fornecedores, batizada “B to Texmed”, permitirá aos participantes no salão organizar melhor os contactos profissionais pré-programados. Em destaque está igualmente um conjunto de ateliers sobre temáticas de interesse para o sector. O salão pretende também dar o seu contributo para a emergência de uma nova geração de criadores tunisinos com o espaço Jovens Designers e um concurso cujos prémios serão entregues no dia 4. O programa inclui ainda desfiles de moda todos os dias do certame, às 16h. As entidades organizadoras do Texmed, Fenatex, Cepex e Cettex, esperam que todas estas novas iniciativas resultem num salto qualitativo e quantitativo do salão e, em geral, da indústria têxtil e de vestuário da Tunísia. As apostas deste sector continuam inalteráveis: posicionar-se no segmento médio e até no alto, ganhar pontos na cocontratação e tornar-se um parceiro incontornável da Europa no sourcing de proximidade.