Início Notícias Tecnologia

Texon revoluciona produção de tecidos

A empresa de origem americana desenvolveu uma nova tecnologia jacquard que permite atribuir características funcionais e de design distintas em diferentes áreas de um mesmo tecido. Uma solução inovadora, garante a Texon, que deverá impulsionar criatividade nas indústrias de vestuário e de calçado.

[©Texon]

A tecnologia ProWeave abre, segundo a empresa, «novas possibilidades infinitas», uma vez que permite a produção de substratos tecidos contínuos com características diferentes em zonas distintas, correspondendo na totalidade ao que os designers de produto querem.

Pensada para tecidos de performance, a tecnologia possibilita criar zonas com diferentes elasticidades, tenacidades e propriedades de abrasão dentro do mesmo processo de tecelagem. Esta tecnologia combina diversas espessuras de fio, pesos e referências de tecidos, possibilitando o desenvolvimento de tecidos com design elaborado e diferentes gradientes, nervuras, cores, elasticidade, transparências e efeitos tridimensionais.

«A ProWeave eleva a produção de tecidos de performance ao próximo nível. Ao combinar o know-how da Texon em calçado de marca com o conhecimento em tecidos de elevada performance e de segurança da nossa divisão italiana, esta tecnologia entusiasmante pode ajudar os produtores a diferenciar os seus designs e a desbloquearem vantagens criativas significativas», explica Paul Jackson, business acceleration leader para a ProWeave na Texon. «Usando a ProWeave podemos ajudar os produtores a identificarem as características físicas, zonas funcionais e padrões visuais que querem obter num tecido de performance e depois tornar a sua visão em realidade. A ProWeave é radicalmente diferente de tudo o que existe no mercado e estamos a receber um feedback muito entusiástico por parte de clientes em todo o mundo. Há uma verdadeira curiosidade sobre uma tecnologia que pode libertar os designers das restrições dos tecidos convencionais e ajudá-los a libertar a sua imaginação», acrescenta.

De acordo com a empresa, a ProWeave é adequada à produção de todo o tipo de calçado em tecido e é a solução ideal para produtores de vestuário e acessórios que querem usar novos tecidos de performance, devendo por isso tornar-se popular junto dos sectores de desporto e outdoor, assim como no mercado do luxo e em vestuário e calçado de segurança e proteção individual.

Atenção à sustentabilidade

A utilização da tecnologia, que está implementada na unidade da Texon em Prato, em Itália, e nas instalações da empresa no Vietname, inauguradas em meados do ano passado, encontra-se disponível para produções em massa mas também para pequenas quantidades, concebidas, por exemplo, para coleções de edição limitada.

[©Texon]
A ProWeave tem ainda vantagens ao nível da sustentabilidade. «Ao usar um processo eficiente único para criar tecidos com características localizadas, significa menos consumo de energia para os produtores e podem também ser incorporados fios reciclados para criar estruturas recicláveis para projetos circulares», destaca a Texon.

Recentemente, a empresa divulgou o seu segundo relatório de sustentabilidade, onde aponta como objetivos para 2025 reduzir a pegada de carbono em 50%, diminuir em 50% a utilização de matérias-primas virgens, assegurar que 90% dos resíduos são recicláveis ou reutilizáveis e baixar em 20% a utilização de água e de águas residuais.

No ano passado, a Texon diminuiu a utilização média de água em 10%, tendo conseguido que esse valor atingisse os 48% na sua unidade chinesa, inaugurou a unidade do Vietname onde 45% da energia é gerada por painéis solares, a iluminação é feita através de LEDs e a água é reaproveitada, e criou novos produtos sustentáveis, ao mesmo tempo que aumentou a utilização de fibras provenientes de processos de reciclagem ou de origem biológica.

«A sustentabilidade sempre foi uma parte fundamental do nosso ADN. Face a um ano imprevisível, recusámos que o Covid-19 nos fizesse recuar no nosso percurso de sustentabilidade», afirma Jelle Tolsma, CEO da Texon. «Graças à dedicação e determinação das nossas equipas, continuámos a liderar iniciativas que irão ajudar-nos a acelerar o nosso progresso na direção de resíduos zero», conclui.