Início Notícias Tecnologia

Texprocess casa digitalização e sustentabilidade

A digitalização e a sustentabilidade serão os temas dominantes no Texprocess Forum. O programa complementar da feira de processamento de têxteis e materiais flexíveis da Messe Frankfurt, que reunirá mais de 300 construtores de maquinaria, irá debater as consequências da tecnologia e a sua implementação no mercado.

A sustentabilidade é uma força impulsionadora para a inovação, para o processamento têxtil interligado, para o comércio eletrónico e para os próximos passos na direção da Indústria 4.0 e será, por isso, um dos temas principais do Texprocess Forum, que se realiza de 14 a 17 de maio em Frankfurt, em paralelo com a Techtextil.

O evento faz parte da programação da feira de processamento de têxteis e materiais flexíveis Texprocess que, entre outros, está a apostar na apresentação de microfábricas como forma de responder às mudanças no mercado. O certame contará igualmente uma mostra diversa da tecnologia que está a moldar a indústria da moda, da automatização das máquinas de costura e de corte aos softwares capazes de encurtar os prazos de produção.

De Berlim para Frankfurt

Entre os destaques do Texprocess Forum está a chegada de parte da conferência Fashionsustain, a 14 de junho. A Fashionsustain faz parte da Neonyt, o evento dedicado à ecologia e sustentabilidade que se estreou em janeiro, na Semana de Moda de Berlim. O formato da conferência acrescenta as inovações têxteis sustentáveis ao diálogo e usa sinergias no sector para revolucionar processos e fluxos de produção. O tema principal será “É a sustentabilidade a chave para a inovação têxtil?”, com a intervenção da Lenzing, da Perpetual Global e da portuguesa Procalçado, que detém marcas próprias, incluindo a Lemon Jelly. Micke Magnusson, fundador da start-up We are Spindye, será o orador principal, com a abordagem à necessidade económica para modelos de negócio sustentáveis.

A produtora de fibras Lenzing, a construtora de máquinas de bordados Santoni e a Procalçado vão ainda usar o seu tempo de antena para desvendar o roteiro de inovação “O futuro da produção de calçado ecologicamente sustentável”. Este roteiro terá o apoio da Texpertise Network da Messe Frankfurt – uma rede que combina cerca de 50 certames internacionais – e mostra como a revolução da sustentabilidade na indústria têxtil e de moda pode tornar-se uma realidade. O debate será moderado por Marte Hentschel, fundadora da Sourcebook, uma rede B2B para a indústria da moda.

Depois da Indústria 4.0

A indústria 4.0 será um tema incontornável no Texprocess Forum, mas a feira da Messe Frankfurt está já com os olhos postos no futuro.  «Vai um pouco mais longe», explicou Veronika März, diretora da VDMA – Associação Alemã de Tecnologia Têxtil, na apresentação da Texprocess em Portugal.

Um dos pontos de partida é tentar perceber de que forma as mudanças impulsionadas pela indústria 4.0 fazem já parte da cadeia de aprovisionamento. Este será o tema de um bloco temático organizado pela VDMA, onde irão participar Andreas Faath da VDMA, Yves-Simon Gloy do Sächsisches Textilforschungsinstitut, Klaus Hecker da VDMA e porta-vozes da Desma Shoe Machinery, da Efka e da Expert Systemtechnik.

Nos dias 15 e 16 de maio, os efeitos da digitalização estarão em destaque. Holger Knapp, CEO da Deutscher Fachverlag, e Hans-Peter Hiemer, da B4B Solutions, serão os primeiros a abordar a transformação digital do negócio da moda, a que se seguirá um debate sob o tema “Velhas mãos, jovens ousados – como obter o melhor da sua equipa com 3D”, com a intervenção de Michael Ernst da Universidade de Niederrhein, e Andreas Seidl da Human Solutions, entre outros.

Para além da produção, o Texprocess Forum irá apresentar soluções digitais para as vendas e showrooms, com o contributo da MobiMedia e da Assyst GmbH. A Lectra vai discutir formas de produzir moda por encomenda, a Sys-Pro vai analisar soluções omnicanal e a Avalution GmbH vai apresentar a utilização de avatares no desenvolvimento digital de vestuário.

Já no penúltimo dia, a PTC vai abordar a gestão do ciclo de vida do produto, a S.HE o comércio eletrónico, a Spedition Barth & Co irá apresentar as lojas automáticas e a zExur a medição qualitativa de cores com têxteis multicoloridos.

E no dia 17, o último da Texprocess, a Coloreel, vencedora de um dos prémios de inovação da Texprocess em 2017, vai explicar a sua tecnologia para bordados, o Instituto Alemão de Investigação de Fibras e Têxteis de Denkorf vai falar das microfábricas na indústria têxtil, a KSL vai debater os robôs para a costura e a WTiN irá analisar a influência da Amazon no investimento, nas patentes e no futuro.