Início Notícias Mercados

Têxteis antimicrobianos alargam mercado

As oportunidades para têxteis antivirais e antibacterianos vão continuar a surgir e chegar a novos segmentos, como o athleisure e o vestuário de moda, conclui um novo estudo da Textiles Intelligence, que alerta, contudo, para a necessidade de se encontrar soluções alternativas às nanopartículas de prata.

Polygiene [©Polygiene]

De acordo com o estudo publicado na mais recente edição da Performance Apparel Markets, as oportunidades de mercado para os têxteis antimicrobianos – que incluem antivirais e antibacterianos – vão «continuar a expandir-se além do activewear e aplicações médicas para incluir athleisure e vestuário de moda».

A Textiles Intelligence acredita que a expansão vai continuar mesmo após os piores efeitos da pandemia de Covid-19 terem acabado, uma vez que os consumidores estão mais conscientes dos benefícios deste tipo de têxteis, que estão igualmente mais disponíveis.

Previsões recentes sugerem que o mercado de têxteis antimicrobianos vai crescer quase 10% ao ano a médio prazo, em comparação com a expectativa de cerca de 7% projetada um ano antes do surto de SARS-CoV-2.

«Este aumento na taxa de crescimento pode ser atribuído a vários fatores dos quais o mercado irá beneficiar como resultado da pandemia de Covid-19», aponta a Textiles Intelligence, citando um aumento da procura por máscaras, athleisure, vestuário de outdoor, sportswear, uniformes e vestuário de trabalho com propriedades antimicrobianas.

Além disso, refere, os têxteis antibacterianos estão a ser cada vez mais usados noutro tipo de vestuário em resposta à crescente preocupação dos consumidores com a higiene e bem-estar. «Estes outros tipos de vestuário incluem loungewear e vestuário de moda, como jeans», indica. Os acabamentos antimicrobianos estão ainda a ser usados na produção de produtos especiais, como linhas de costura e fechos éclair.

«Na verdade, os têxteis antimicrobianos podem ser usados em quase todo o tipo de aplicação no vestuário, até porque os acabamentos antimicrobianos podem ser facilmente aplicados a uma vasta gama de tecidos», salienta a Textiles Intelligence.

Desafio ambiental

No futuro, assinala o estudo, os consumidores vão manter uma elevada atenção à importância da higiene, mesmo depois da pandemia passar. «No geral, os consumidores vão continuar a valorizar os têxteis funcionais como um todo e estarão preparados para investir em peças de vestuário que combinem múltiplas funções, como repelência à água, respirabilidade e resistência aos micróbios», resume.

HeiQ [©HeiQ]
A Textiles Intelligence alerta, contudo, para alguns desafios que terão de ser superados, nomeadamente os relacionados com a sustentabilidade ambiental. «Em particular, há preocupações associadas com a libertação de nanopartículas de prata no ambiente e muitos tratamentos antimicrobianos são baseados em prata. A seriedade destas preocupações é tão grande que vão entrar em vigor diretivas que podem restringir significativamente a utilização dessas substâncias nos próximos anos», adverte.

Por isso mesmo, aconselha a especialista em informação de mercado, as empresas que atuam nesta área dos tratamentos antimicrobianos terão de «procurar substâncias alternativas que sejam seguras e ainda assim providenciem os mesmos níveis de performance».