Início Notícias Tecnologia

Têxteis inovadores armazenam energia

O SmarTex4Estore está a trabalhar no desenvolvimento de têxteis inteligentes capazes de armazenar energia com base numa tecnologia inovadora de supercondensadores híbridos. O projeto, liderado pelo LAQV/ REQUIMTE, usa processos sustentáveis e facilmente transpostos para a indústria têxtil.

[©Compete]

O SmarText4EStore tem como objetivo a produção de uma nova geração de têxteis utilizando supercondensadores híbridos com elevado desempenho, durabilidade, flexibilidade, leveza e segurança.

«No projeto SmarText4EStore estão a ser desenvolvidos novos têxteis inteligentes para armazenamento de energia com base numa tecnologia inovadora de supercondensadores híbridos. Esta tecnologia surge como alternativa às baterias convencionais usadas em vestuário eletrónico e tecnologias “wearable” para fornecimento de energia a sensores de monitorização de sinais vitais, sistemas de iluminação, entre outros dispositivos eletrónicos flexíveis/portáteis, tendo por isso um vasto leque de aplicações», explica Clara Pereira, investigadora do LAQV/REQUIMTE (Laboratório Associado para a Química Verde da Rede de Química e Tecnologia) e responsável do SmarText4EStore.

Segundo a investigadora, a tecnologia que está a ser desenvolvida tem diversas vantagens, incluindo a elevada rapidez de carregamento, segurança para o utilizador, maior número de ciclos de carga e descarga, flexibilidade e leveza.

«Os fatores de diferenciação deste projeto são o tipo de nanomateriais híbridos que estão a ser desenvolvidos para conferir essas propriedades, assim como a utilização de processos de fabricação ecossustentáveis, escaláveis e de fácil transposição para a indústria têxtil», destaca Clara Pereira.

Entre as estratégias usadas estão o design de elétrodos têxteis, uso de eletrólitos ambientalmente sustentáveis, o desenvolvimento de têxteis utilizando supercondensadores com novas configurações e processos de fabrico de baixo custo e em grande escala.

De acordo com a informação veiculada pelo Compete, o desenvolvimento de novas tecnologias de armazenamento de energia limpas eficientes tem sido uma preocupação global para dar resposta ao elevado consumo energético e esgotamento de fontes de energias não renováveis, sendo os supercondensadores uma solução mais sustentável em termos ambientais para redução da pegada de carbono.

Dos EPIs à moda

A proliferação do vestuário eletrónico está a criar novas oportunidades de mercado para os supercondensadores, nomeadamente na produção de têxteis com propriedades de armazenamento de energia. O desafio, aponta o enquadramento do projeto, consiste no design de supercondensadores integrados no vestuário ou produzidos sob a forma de fibras.

Neste sentido, os nanomateriais são componentes fundamentais para a produção de têxteis supercondensadores com elevado desempenho, leveza e conforto. Os nanomateriais híbridos baseados em materiais de carbono condutores e nanopartículas de óxidos metálicos são, por isso, uma solução promissora para a produção em grande escala e a baixo custo de elétrodos e de supercondensadores têxteis eficientes.

Clara Pereira [©Compete]
De acordo com Clara Pereira, o SmarText4EStore, que conta com um apoio financeiro de 204 mil euros, concedido pelo COMPETE 2020, no âmbito do FEDER, deverá potenciar «o desenvolvimento de novas tecnologias de armazenamento de energia diretamente produzidas em substratos têxteis» e, ao mesmo tempo, promover «a inovação nos domínios da energia, têxteis e vestuário inteligente».

As soluções desenvolvidas poderão «vir a ser implementadas nas áreas da proteção individual, da saúde e bem-estar, do desporto e da moda», resume a investigadora.

O projeto SmarText4EStore, que teve início em julho de 2018 e tem como data de término julho de 2021, é um projeto multidisciplinar liderado pelo LAQV/REQUIMTE, no Departamento de Química e Bioquímica da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), em parceria com o Instituto de Física de Materiais Avançados, Nanotecnologia e Fotónica, do Departamento de Física e Astronomia da FCUP, o laboratório associado LSRE-LCM, no Departamento de Engenharia Química da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, e o CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal.

Recentemente, o REQUIMTE apresentou um outro projeto, liderado por Salette Reis, e com investigadoras do LAQV, do 2C2T da Universidade do Minho, e do CITEVE para desenvolver produtos à base de nanopartículas para detetar e inativar o SARS-CoV-2 em equipamentos de proteção individual e roupa de cama.