Início Notícias Têxtil-Lar

Têxteis Penedo espera milhão das cortinas com Led

O projeto LEDinTEX, liderado pela Têxteis Penedo, em parceria com o Citeve e o CeNTI, deverá gerar mais de um milhão de euros de faturação anual a curto prazo, depois de um investimento, com o apoio da Agência Nacional de Inovação, de 500 mil euros.

Agostinho Afonso, administrador da empresa produtora de têxteis-lar revelou, à margem da apresentação do processo industrial que irá produzir cortinas com sistema de iluminação Led’s, que esta é apenas «a primeira máquina» e que se os mercados demonstrarem interesse a empresa irá adquirir mais equipamentos.

«Temos uma patente já registada e esperamos atacar o mundo inteiro, se possível. Há mercados que já conhecemos melhor e que achamos que podem ter mais potencial, como os Emirados Árabes Unidos e alguns países europeus em que já operamos e que têm poder de compra para um produto destes», revelou o administrador ao Portugal Têxtil. Além disso, a cortina com Led’s tem como alvo os EUA, explicou Agostinho Afonso.

LEDs com Bluetooth incorporado

A empresa apresentou o produto em 2015, na Techtextil (ver No coração da Penedo) e desenvolveu em seguida uma fase de industrialização que está agora já em funcionamento. Pelo meio, a equipa conseguiu conferir ainda mais valor acrescentado à cortina, com a criação de um software que permitirá ligar os LEDs a um sistema de Bluetooth, que os consumidores podem ativar ou desligar remotamente. «Iremos investir nessa área de automatização, mesmo ao nível do utilizador. Uma pessoa está na sua sala ou no seu carro, a quilómetros de distância e pode, pela Internet, ligar a cortina em casa. É um sistema semelhante ao do nosso telemóvel em que temos funcionalidades à distância», referiu Agostinho Afonso.

Pelo caminho ficaram outras tecnologias que, depois de testadas, não geraram os resultados esperados, como por exemplo têxteis com iluminação fotovoltaica. Mas isso não significa que no futuro a Têxteis Penedo não volte a trabalhar estas ideias. «Optámos por uma delas [as tecnologias de iluminação], porque achámos que tinha mais interesse para os mercados. Nas questões de inovação, são eles que representam o primeiro passo e, naturalmente, os próprios clientes darão inputs importantes», salientou o administrador da Têxteis Penedo. «Acredito que possam estimular a empresa a investigar outras áreas e a melhorar ainda mais este produto», garantiu.

Para já, a empresa está a avançar com um novo projeto de inovação, em parceria com o Citeve e com a Feup, entre outros e que deverá ser apresentado ainda em março, mas do qual Agostinho Afonso não quis dar mais detalhes.