Início Notícias Têxtil

Têxteis promovem bem-estar

Da saúde ao conforto térmico, passando pela dermocosmética, os têxteis estão a avançar a passos largos no campo da beleza e bem-estar, assumindo propriedades hidratantes, aromaterapia, proteção UV ou anticelulíticas que garantem resultados no dia a dia. As empresas portuguesas estão a acompanhar, e até a liderar, a tendência.

A tecnologia está a transformar a forma como usamos a roupa, com 80% dos têxteis a deverem tornar-se mais técnicos por natureza, de acordo com o IOSR Journal of Polymer and Textile Engineering, citado num artigo do WGSN.

Os têxteis que promovem o bem-estar vão alimentar esta mudança, à medida que os consumidores, cada vez mais atentos à sua saúde, procuram novas formas de levar mais longe os cuidados que têm consigo próprios. A funcionalidade do vestuário está a ir além do conforto para entrar no domínio da saúde e da beleza, usando os cosmetotêxteis para transformar o nosso guarda-roupa no “cuidado da pele” do futuro.

Estes têxteis são criados quer através da impregnação de compostos em fibras através da microencapsulação, quer com a adição antes da extrusão dos filamentos ou através da impregnação por revestimento, em que os princípios ativos para a pele são transferidos através do movimento e do calor.

Os benefícios potenciais são inúmeros, desde os aromas que melhoram o humor a cuidados antienvelhecimento, de firmeza e hidratação, fornecimento de nutrientes, melhoria da forma física ou arrefecimento corporal.

Nos últimos 20 a 30 anos assistiu-se a vários lançamentos de produtos de bem-estar, incluindo em Portugal, com graus de sucesso variáveis, com os avanços em artigos que melhoram a forma física a terem os melhores resultados. Mas com o bem-estar no topo da agenda dos consumidores, a inovação nesta área deverá crescer em 2020 e nos anos que se seguem, acredita o WGSN.

Beleza profunda

As indústrias da beleza, do activewear e da roupa interior têm inovado no campo dos produtos que cuidam da pele nos últimos 20 anos e isso deverá continuar.

Reverter a aparência envelhecida da pele é um tópico quente. O fio Meryl Hyaluronan, da Nylstar, usa nanopartículas de ácido hialurónico que estimulam o colagénio e reduzem o envelhecimento provocado pelos radicais livres, ajudando a pele a parecer mais elástica, mais suave e firme – uma inovação já comercializada pela portuguesa Fitor, por exemplo.

Wrangler

A melhoria no aspeto da celulite é ajudada por agentes como a cafeína, cristais de biocerâmica e vitamina E.

Uma fibra da Nilit chamada Innergy, uma microfibra de poliamida 6.6, transforma a energia térmica em raios infravermelhos longos e reflete-os de volta para a pele para um aquecimento profundo mas suave que melhora o aspeto da celulite. É fácil de cuidar, suave e pensado para ser usado em meias e lingerie com efeito modelador. O mesmo princípio foi aplicado pela Solvay, com a fibra Emana.

A Lanaform, uma empresa pioneira na área da saúde, beleza e bem-estar, oferece leggings “que emagrecem” usando a mesma tecnologia de cristais de biocerâmica, que são pensados para aquecer a pele, melhorar a circulação sanguínea e a ajudar na drenagem linfática.

O denim está também a entrar nesta área. Os Denim Spa Therapy Jeans da Wrangler infundem agentes anticelulíticos e hidratantes (aloé vera, esqualeno e cafeína) em jeans com aroma de jasmim. Os portugueses têm sido pioneiros nesta área e marcas como a Salsa lançaram já jeans com propriedades anticelulíticas em 2004.

O poder do mar

O mar é uma fonte rica de ingredientes com propriedades de bem-estar, incluindo minerais e sais.

A quitina, um agente polissacarídeo presente em crustáceos como camarões e caranguejos, cura e acalma a pele, sobretudo nos casos de sobre-exposição solar, reações alérgicas e dermatite. É antibacteriana e desodorizante e estimula a regeneração celular.

Sea Cell

A fiação italiana de fios técnicos Pozzi Electa tem uma gama Crabyon derivada de quitosana (polpa de caranguejo) misturada com viscose, que é adequada para utilização em roupa interior e athleisure em misturas de conforto.

As algas são conhecidas pelas suas propriedades regeneradoras, antioxidantes, hidratantes e de proteção da pele, assim como pela sua suavidade. A Smartfiber AG tem a gama SeaCell Lyocell, que usa os abundantes sais marinhos e vitaminas das algas, incluindo os aminoácidos ativos e os agentes de iodo. Em Portugal, empresas como a Tearfil incluem a fibra em fios e a A. Sampaio & Filhos integra a SeaCell em algumas das suas malhas.

A Umorfil, uma fibra biónica “de beleza” que junta aminoácidos de colagénio reciclados das escamas de peixe com poliéster, é popular junto de marcas de vestuário para ioga como a gama La-Veda da Easyoga, graças ao seu brilho acetinado e suavidade semelhante à caxemira, para além da sua performance ao nível do bem-estar.

Vitaminas e aromas

O bem-estar nutricional entregue através da pele é possível nos têxteis e a “tecnologia wearable de vitaminas” que usa as antioxidantes vitamina C e E e tem estado em desenvolvimento em fibras, fios e em malhas, como as sugeridas pela Joaps.

A fiação japonesa Fuji Spinning Co criou a gama de têxteis V-Up impregnada com pró-vitaminas que se transformam em vitaminas C e E em contacto com os químicos na pele, como quando são esfregadas ou aquecidas pelo calor corporal, mas precisam de ser renovadas após 30 lavagens.

Ana Sousa

Os têxteis com aromaterapia oferecem um caminho sensorial holístico através da utilização de óleos perfumados sintetizados a partir de ingredientes de plantas ou frutos. Os óleos revitalizantes incluem laranja, gengibre, alecrim, toranja, mentol, limão e tomilho, enquanto os óleos relaxantes incluem lavanda, camomila e valeriana.

A Invista lançou a gama para roupa interior Lycra Body Care em 2005, que combinava aromas e hidratação, enquanto a camisola de corrida PreCool System da Nike está infundida com hortelã-pimenta para ajudar a reduzir a fadiga durante o exercício físico.

A Scentsory Design, criada por Jenny Tillotson na Central Saint Martins College of Art, foi um projeto científico de 2014 que juntou o bem-estar e a moda através de uma tecnologia interativa de fragrância.

No nosso país, a Flor da Moda, por exemplo, já produz tops com aromaterapia para a marca própria Ana Sousa.

Proteção do metal

A procura por vestuário de proteção está a crescer, à medida que os consumidores estão cada vez mais atentos aos perigos da exposição solar e da radiação eletromagnética.

Arjuna

Os tecidos com proteção UV são adequados a vestuário de exterior, enquanto o fator de proteção depende da utilização final. A proteção pode ser conferida pela estrutura do tecido, pela cor e pela possibilidade de lavagem, com o ferro, o zinco e o óxido de titânio a serem usados, assim como o ácido oxálico. Empresas como a Tintex, a NGS Malhas e a LMA têm habitualmente malhas com proteção UV nos seus catálogos.

A marca de outdoor Lafuma deu ao vestuário que vende tratamentos para proteção UV com fator entre 10 e 50, dependendo da funcionalidade necessária para cada peça.

O acabamento Coldblack da Schoeller Textil AG evita que o tecido aqueça através da redução da absorção e fornece proteção aos raios UV através de um efeito refletor.

A exposição a radiação eletromagnética, incluindo radiofrequências emitidas por dispositivos eletrónicos, está associada a uma série de problemas de saúde, desde depressões e dores de cabeça ao cancro. Os metais podem combater isto e a prata usada nas indústrias militar e médica está a ganhar terreno no vestuário.

A marca de lifestyle de luxo Arjuna acrescenta iões de prata aos tecidos para proteger contra a radiação, juntamente com benefícios antibacterianos, anti-inflamatórios e de termorregulação.

Frescura a toda a prova

O conforto da frescura é vital para os têxteis de performance e os minerais biocerâmicos e materiais naturais pouco usados, como o carbono de coco, estão a abrir caminho.

A inovação da empresa tecnológica 37.5 melhora o microclima da pele usando areia vulcânica e carbono ativado da casca do coco embebida em poliéster ecológico, reduzindo a humidade. Os fios de triacetato modificado Ventcool, da Mitsubishi, funcionam adaptando-se às condições seco ou molhado do corpo, enquanto a Coolmax da Invista – usada por empresas como a A. Sampaio & Filhos – é uma fibra de poliéster respirável e com elevada capacidade de gestão de humidade.

Jade Fusion – Lee

A procura por tecnologia de tecidos frescos está a crescer também no denim, sobretudo na Ásia, onde as temperaturas e humidade elevadas podem levantar problemas.

A marca de denim Lee, da VF, lançou a linha JadeFusion para o verão, direcionada para o mercado chinês, que usa um material antigo bem conhecido, o jade. Quando incorporadas no denim, as partículas de jade mantêm a temperatura mais fresca e permitem uma secagem mais rápida através da utilização de melhorias tecnológicas.

Também a marca de athleisure Virus tem a linha StayCool, pensada para manter os consumidores secos e confortáveis usando o tecido CoolJade (jade reciclado). O objetivo é baixar a temperatura do corpo até 12 °C.