Início Arquivo

Têxteis turcos tecem grandes ambições na Europa

A empresa de tecelagem Saydam, originária da Turquia, prepara-se para conquistar o pronto-a-vestir feminino europeu média-alta gama. Desde a sua chegada, em 1994, à chefia da empresa, Serdar Saydam, filho do fundador, tem visto as exportações crescer de ano para ano. Partindo de uma quota nula em 1995, esta representa actualmente 85% do volume de negócios e inclui principalmente os mercados alemão, francês e inglês. Inicialmente, Serdar Saydam percorreu a Europa para divulgar o know-how da sua empresa. Desde então, recrutou vários agentes um pouco por toda a Europa e nos EUA, mas continua a ser presença constante em inúmeras feiras. Este ano, pela primeira vez, expôs na Première Vision, onde os seus tecidos em relevo de efeito 3D foram particularmente notados. Com 78 máquinas, o que representa uma capacidade de produção de 5 milhões de metros por ano, a Saydam especializou-se primeiramente na fabricação de tecidos (viscose e acetato) destinados ao pronto-a-vestir feminino de média gama e, mais especificamente, para camisaria. Cada ano, realiza duas colecções compostas por uma centena de referências, onde 60% são novidades. Uma dezena de pessoas trabalham na criação dos tecidos. «Gostamos de nos definir não como produtores de tecidos mas sim como fabricantes de moda», explica Serdar Saydam. «Somos apreciados pela nossa criatividade, o que nos permite ser competitivos face aos nossos concorrentes chineses». Porque Serdar Saydam pretende passar à velocidade superior e produzir novas qualidades susceptíveis de interessar o sector do luxo, o empresário turco investiu nos dois últimos anos cerca de 3 milhões de euros em maquinaria para tecelagem e acabamentos. A empresa compra os seus fios na Europa por questões de qualidade e realiza todas as operações de tecelagem e acabamentos, à excepção da estamparia, onde recorre à subcontratação. Serdar Saydam desenvolveu igualmente programas informáticos com os seus diferentes fornecedores de fios e os seus parceiros confeccionadores para estar directamente conectado com ambos e, deste modo, melhorar os prazos de entrega das encomendas. «Nós não somos confeccionadores», explica Serdar Saydam, «mas propomos aos nossos clientes, se eles o desejarem, alguns parceiros que seleccionarão em função das suas necessidades». À imagem do seu jovem dirigente, à empresa não lhe falta ambição. Embora trabalhe já com mais de 50 clientes, como a Gap, Zara, H&M, Next, Ann Taylor, Barclay, Marks & Spencer, Laura Ashley e Philippe Adec, e empresa familiar procura hoje conquistar as “maisons” do luxo. Para tal, está já a efectuar novos avultados investimentos que vão permitir-lhe trabalhar novas matérias. Com um efectivo de 250 trabalhadores, a Saydam realizou um volume de negócios de 18 milhões de euros em 2002 e prevê para este ano um aumento de 10%.