Início Destaques

Têxtil António Falcão lança marca para reciclados

Ecofibers by Fitexar é o rótulo que certifica que uma peça de vestuário foi produzida com fios de fibras recicladas de poliéster e poliamida. A etiqueta da Têxtil António Falcão, que em 2019 quer expandir-se para a América Latina e focar-se nos fios técnicos, pretende responder a uma procura crescente por produtos amigos do ambiente.

A Ecofibers by Fitexar assegura que os fios usados são obtidos a partir de fibras de materiais reciclados, incluindo garrafas de plástico recolhidas no mar. «Brevemente, sempre que comprar uma peça de roupa que tenha a nossa etiqueta, estará a contribuir para um mundo melhor», pode ler-se no comunicado enviado pela Têxtil António Falcão.

A etiqueta faz parte da estratégia do grupo Têxtil António Falcão, que tem vindo a apostar forte na sustentabilidade. «As áreas ecofriendly são o futuro», afirmou António Falcão, vice-presidente do conselho de administração da Têxtil António Falcão. «Tanto o mercado do desporto como o mercado da moda procuram muito os fios mais amigos do ambiente. Hoje sabemos que muitas marcas têm o objetivo de pôr até 70% ou 80% da roupa que vendem com matéria-prima reciclada, por exemplo. E é uma área que temos vindo a desenvolver já há alguns anos», explicou ao Portugal Têxtil.

O portefólio da empresa inclui fios de poliéster e de poliamida reciclados, mas também fios biodegradáveis e até a mistura das duas opções. «São desenvolvimentos que temos feito, que demoram o seu tempo e em que temos de trabalhar muito em parceria com os nossos clientes», frisou o vice-presidente.

Investir na sustentabilidade

Estes desenvolvimentos têm sido apoiados pelos departamentos de I&D do grupo, por parcerias com o centro tecnológico Citeve e também pela aquisição de novos equipamentos. «Nos últimos anos fizemos investimentos principalmente em máquinas – foram mais de 20», revelou António Falcão.

E esta é uma área que deve merecer a atenção da empresa nos próximos tempos. «Temos de continuar a investir. Temos alguns projetos em mente muito ligados à parte da reciclagem e desta ideia da economia circular», acrescentou.

Para além do produto, o processo produtivo e até a área comercial estão envolvidos nesta procura pela sustentabilidade. A somar aos painéis fotovoltaicos, a Têxtil António Falcão tem também substituído a frota automóvel por modelos elétricos. «Temos vendedores que andam pelo país a toda a hora e já substituímos alguns dos carros por elétricos», indicou António Falcão. «O objetivo neste momento é ir trocando sempre os carros por elétricos, portanto, é seguir esta linha de amigos do ambiente que temos vindo a fazer ultimamente», assegurou.

Crescer na América Latina

Em 2018, o volume de negócios da Têxtil António Falcão cifrou-se nos 13 milhões de euros, com evolução positiva na Alemanha, que foi o mercado que mais cresceu. Mas «vendemos um pouco por toda a Europa: França, Itália, todos os países nórdicos,…», enumerou António Falcão, que destacou ainda as exportações para a Índia e países vizinhos, como o Sri Lanka.

A expansão da empresa vai agora concentrar-se na América Latina. «Um grande objetivo nosso, onde temos vindo a investir e vamos procurar cada vez mais, é entrar nos mercados da América Latina. É um mercado muito grande e queremos tentar entrar lá com os nossos fios técnicos, principalmente. Temos tido alguns contactos e já estamos a trabalhar isso», admitiu o vice-presidente, assumindo que o potencial do mercado passa não só pela dimensão mas pelo seu foco. «Têm grandes empresas a produzir para a área de desporto, que é uma área em que temos entrado cada vez mais», reconheceu. Aliás, o mercado do desporto representou 60% a 70% das vendas, mas a meta «é que represente cerca de 80% e é nesse caminho que estamos a andar», garantiu.

Um propósito que faz parte das ambições para 2019, onde o o vice-presidente do conselho de administração espera que o grupo possa desfrutar dos investimentos realizados. «Nos últimos anos investimos bastante, agora é tirar os frutos disso. 2018 foi um ano em que fizemos bons negócios e estamos ainda em processo de desenvolvimento com muitas empresas neste momento. Em 2019, para além desses projetos, queremos expandir para novos mercados e seguir o foco nos fios técnicos», concluiu.