Início Arquivo

Têxtil de Nova Iorque em campanha

A elite da política e da moda, reuniram-se no showroom de vestuário em Chinatown, no sentido de apelar aos consumidores americanos, para que comprem mais roupas confeccionadas na indústria de vestuário daquela cidade, que foram bruscamente atingidas pelo impacto económico devido aos ataques do dia 11 de Setembro. Os senadores dos estados de Nova Iorque, Charles Schumer e Hillary Rodham Clinton, os estilistas Nicole Miller, Elie Tahari e os executivos Brooks Brothers, Neiman Marcus e Bergdorf Goodman estavam entre os que assistiram ao lançamento da campanha de vestuário «Proudly Made in New York» (Orgulhosamente feito em Nova Iorque). As roupas feitas na cidade vão ter etiquetas com vermelho, branco e azul, e terão inscrito o lema «Unite! Proudly Made in New York». As atrocidades tiveram um impacto devastador na indústria de vestuário de Nova Iorque, que estavam já em dificuldades devido à competição das importações baratas e à queda das vendas do sector do retalho. «Nós vimos na televisão os efeitos dos actos terroristas do dia 11 de Setembro nos serviços financeiros das indústrias, mas o que nós não vimos, foram os efeitos na maior indústria fabril, o abalo na economia que fez com que os retalhistas de todo o país e do mundo cancelassem as suas encomendas,» disse Bruce Raynor, presidente da Union of Needletrades, Industrial and Textile Employees. A indústria está concentrada em Chinatown, a poucos quarteirões das torres da World Trade Center. A destruição das torres gémeas, forçou várias empresas têxteis a fechar, deixando cerca de 12.000 trabalhadores (a maioria imigrantes chineses mal pagos), sem trabalho durante vários dias. Os ataques levaram a economia a uma recessão, com cerca de 60.000 trabalhadores têxteis a enfrentarem a possibilidade de perderem os seus empregos, afirmou Raynor. «Os costureiros e trabalhadores têxteis em Nova Iorque, não ganham muito dinheiro, eles dependem dos seus empregos, não têm contas poupança. Esses trabalhadores, apelam agora aos consumidores deste país», diz Raynor. Estilistas e empresas decidiram manter a produção na cidade. Segundo Joe Gromack, director industrial da Brooks Brothers, que foi posta à venda pela britânica Marks & Spencer, planeia continuar a sua produção em Nova Iorque. A empresa pretende ainda reconstruir a loja que tinha perto das World Trade Center.