Início Notícias Têxtil

Texworld bate recorde

13.929 é o número que marca o novo recorde de visitantes na Texworld Paris. A feira de tecidos e acessórios parisiense contornou a incerteza que afeta os mercados europeus e seguiu com os negócios, numa edição que contou com a portuguesa 6Dias Têxteis.

Ângela Silva e Estela Silva

De 11 a 14 de fevereiro estiveram na Texworld Paris 696 expositores de 20 países e 13.929 compradores, um aumento de 2,35% em comparação com a edição homóloga de 2018. França, Espanha, Reino Unido, Turquia e Itália foram as nacionalidades mais representadas entre os visitantes, que, de acordo com a organização e os expositores, mais do que ver, foram fazer negócios ao parque de exposições Le Bourget.

Michael Scherpe

«Os compradores estavam empenhados em determinar se os seus projetos eram concretizáveis e em serem os primeiros no que diz respeito a exclusivos. Os profissionais já tinham decidido o que queriam antes da feira e queriam fazer as coisas acontecer o mais rapidamente possível. Desde o início que estavam focados no que é central para o nosso trabalho: conversas comerciais e negócios. A atmosfera manteve-se muito dinâmica ao longo da feira», revelou Michael Scherpe, presidente da Messe Frankfurt France.

Expositores satisfeitos

Por entre os corredores, os expositores presentes, sobretudo asiáticos mas também europeus, confirmaram o bom ambiente da feira de tecidos parisiense logo no primeiro dia. «A feira é excelente e muito internacional. Noutros locais é mais difícil estabelecer contactos como os que conseguimos nesta Texworld», afirmou Hussain Al Beer, diretor de materiais premium na Yaser & Mayasa, uma empresa do Dubai.

Betty Tian

«Esta feira traz gente de todo o mundo», destacou, ao Portugal Têxtil, Betty Tian, comercial da empresa chinesa Suzhou Yintian Textile Import & Export, especialista em tecidos para vestuário de outdoor, com clientes nos EUA, Rússia, Argentina, Chile e Norte da Europa. «Estamos na Texworld porque há muitos visitantes profissionais. É uma boa feira para nós», sublinhou.

Junto da estreante Ilshin Heungsan, produtora de malhas sul-coreana, a opinião foi também positiva. «Muitos dos nossos clientes falaram-nos desta feira. Fizemos a nossa pesquisa e quisemos vir ver», explicou, ao Portugal Têxtil, a diretora Gisoo Lee, que, apesar dos contactos, acredita que «só saberemos o resultado nos próximos meses».

Gisoo Lee

Para a 6Dias Têxteis – a única representante portuguesa no certame –, a Texworld Paris é o local ideal para mostrar as suas coleções a cada estação. «Esta é uma feira de grande renome, é das mais importantes na Europa», reconheceu, ao Portugal Têxtil, Estela Silva, comercial da empresa. «Há clientes que já nos conhecem e vêm cá visitar-nos, mas o objetivo é sempre procurar clientes novos e dar a conhecer o nosso produto a outros mercados», admitiu Ângela Silva, também comercial. Durante o certame, a 6Dias Têxteis esteve a apresentar a coleção para o verão 2020, com os grandes destaques a serem o denim, que complementa uma oferta composta por básicos, estampados e bordados. «Temos novos desenvolvimentos a nível de tecelagem porque a 6Dias comprou uma empresa com tecelagem e tinturaria», indicou Estela Silva. «Desenvolvemos já uma coleção de forros e oxfords e também alguns jacquards com poliéster e várias misturas», adiantou, por sua vez, Ângela Silva.

Ecologia marca pontos

No centro da Texworld estiveram as coleções ambientalmente responsáveis, uma área em crescimento também nesta feira. «Em 2009, criamos uma série de eventos especiais para promover os materiais amigos do ambiente e dar exposição ao desenvolvimento sustentável. Pertencemos a um grupo que começou na Alemanha, um país que valoriza muito o desenvolvimento sustentável», apontou Michael Scherpe. «Criamos um circuito de fóruns dedicados especificamente a esta ideia de crescimento. Estou muito satisfeito com o interesse demonstrado nesta edição», acrescentou.

Quanto aos negócios, «estamos num mundo em que as expectativas, dizem alguns, não são particularmente boas e não posso realmente dizer hoje que vai haver um período bom para o negócio», assegurou ao Portugal Têxtil. Mas, referiu, «em França somos a feira mais internacional, temos os visitantes mais internacionais, temos os expositores mais internacionais e neste tipo de negócio de sourcing, para os grandes mercados – não estamos vocacionados para mercados de nicho –, somos a feira líder na Europa», assumiu. «Crescemos, há uma boa dinâmica, há otimismo e o que posso dizer é que houve uma boa frequência. Agora, como serão os negócios, é algo que vamos ver depois» concluiu o presidente da Messe Frankfurt France.