Início Notícias Tecnologia

Transparência em grande escala

Nos últimos anos, a consciencialização de empresas e consumidores para os desafios ambientais tem vindo a despertar a urgência para a transparência do sourcing, sem que qualquer uma das soluções apresentadas tenha sido viável para a indústria… até agora. A resposta combina tecnologia blockchain com marcadores nos produtos.

O projeto piloto Organic Cotton Traceability arrancou em 2018 com o objetivo de testar e validar marcadores sobre os produtos e, combinando com a tecnologia blockchain, verificar a viabilidade deste sistema de rastreabilidade dentro da realidade da indústria têxtil e do vestuário (ITV). Depois de confirmado o sucesso da experiência, o projeto pode agora ser implementado em grande escala no sector do algodão orgânico, apresentando um «enorme potencial», nas palavras de Katrin Ley, diretora de gestão da Fashion for Good, para a rastreabilidade de outras fibras preferenciais, desde o cultivo até ao consumidor

«Enquanto plataforma global para a inovação, com muitas marcas a apoiar-nos, estamos satisfeitos por observar a forma como a expansão à escala de um dos nossos inovadores se tornou num esforço de vários acionistas, a partir do qual irá beneficiar a indústria. Estas tecnologias vão melhorar o modo como as empresas mapeiam, auditam, certificam e monitorizam as suas cadeias de valor, permitindo-lhes combater imediatamente os problemas e construir processos transparentes», explica Ley ao just-style.

Por detrás do projeto está o parceiro técnico líder Bext360, uma startup de blockchain agrícola, e as empresas Haelixa, Tailorlux, IN-Code Technologies e Corebiome, cujas tecnologias de fluorescentes invisíveis e microbiomas foram aplicadas na rastreabilidade do algodão orgânico. Os investigadores confirmaram que, depois de passarem por processos que envolvem temperaturas elevadas e tratamento químico, assim como a fiação e o tingimento, os rastreadores se mantinham intactos, permitindo a identificação do algodão em vestuário. A plataforma de blockchain Bext360 consegue, então, seguir cada transação ao longo de toda a cadeia de aprovisionamento, acedendo à classificação da qualidade do algodão, desenvolvida automaticamente por tecnologia de inteligência artificial. As etiquetas de código eletrónico NFC, fornecidas pela IN-Code Technologies, proveem ainda verificações adicionais, através de dados digitais, recolhidos ao longo da produção.

Katrin Ley

«O sucesso do piloto Organic Cotton Traceability oferece um impulso positivo no sentido da rastreabilidade e da transparência na cadeia de valor», sublinha Ley, afirmando que «recolhemos perspetivas e evidências suficientes para apoiar o caso, em termos de viabilidade técnica e operacional, para a implementação em escala do processo na indústria do algodão orgânico. Além disso, o sistema mostra um potencial enorme para expansão mais alargada que inclua outras fibras na cadeia de aprovisionamento da moda».

A orientar a iniciativa estão as organizações Fashion for Good, Fundação C&A e o programa Organic Cotton Accelerator (OCA), com o apoio da Kering, Zalando, PVH Corp e C&A.

Consciencialização para a sustentabilidade

A ITV é visivelmente fragmentada e complexa, o que dificulta a rastreabilidade eficiente de matérias-primas e produtos. Os sistemas atuais, apesar de fidedignos, dependem fortemente de certificações em papel e estão condicionados pela multiplicidade de subsistemas distintos e separados que gerem a cadeia de valor. O novo processo cria um rasto físico e digital que aumenta a fiabilidade do rastreio, combinando a imutabilidade da tecnologia blockchain com marcadores nos produtos que verificam a identidade da fibra.

Deste modo, a solução da iniciativa aproxima-se como nunca da rastreabilidade total, desde o cultivo à distribuição, contribuindo ainda para informar o consumidor sobre todos os fornecedores envolvidos para a obtenção do produto final. «Ao ter algodão orgânico totalmente rastreável, a expetativa é cultivar algodão no sector, à medida que se promove a consciencialização para os produtos sustentáveis», revela Ley.

Fashion for Good Experience, Amsterdão

A Fashion for Good defende que o algodão orgânico promove a saúde dos solos, ecossistemas, pessoas e comunidades de agricultores, constituindo-se uma fibra-chave nas estratégias de sustentabilidade das marcas de moda, em todo o mundo. Além disso, também implica um impacto ecológico mais reduzido, já que diminui a exposição a inseticidas, pesticidas e outros químicos, comparativamente ao algodão convencional.

A partir do corrente mês de dezembro, a Fashion for Good Experience em Amsterdão – um museu dirigido ao consumidor focado na moda sustentável e na inovação – irá integrar na sua exposição uma t-shirt de algodão da cadeia de aprovisionamento usada neste projeto. Com o espectrómetro manual Tailorlux, os consumidores poderão verificar a presença do rastreador por si próprios na tela interativa. Além da mostra, o museu será palco de vários eventos sobre a transparência e a rastreabilidade, de modo a alertar os consumidores para a importância deste tema.