Início Notícias Têxtil

Trevira ganha prémio de inovação

A empresa foi galardoada, pelo estado de Brandemburgo, com o Prémio de Inovação para Plásticos e Química de 2019 pelo seu fio de poliéster que, além de retardante de chama, é resistente às lavagens e à radiação ultravioleta.

O prémio foi atribuído pelo Ministério dos Assuntos Económicos do Estado de Brandemburgo no passado dia 21 de novembro. O fio, que está disponível em diversas cores, foi pensado especialmente para aplicações de outdoor e, indica a empresa, «combina múltiplas qualidades de uma forma que nunca foi conseguida para um têxtil de poliéster».

Este fio tem retardante de chama e proteção contra a radiação ultravioleta integrados de forma permanente, juntamente com cores duráveis que resistem à lavagem. «Apresenta um enorme potencial para numerosas aplicações em sectores de outdoor muito regulados – por exemplo, em áreas como o espaço de lazer de navios de cruzeiro», aponta a Trevira em comunicado.

«Estamos extremamente satisfeitos pelo nosso desenvolvimento inovador ter sido reconhecido pelo júri do Prémio de Inovação de Brandemburgo. O nosso produto mostra o enorme talento e potencial do departamento de desenvolvimento», sublinha Klaus Holz, CEO da empresa.

Cinco empresas estavam nomeadas para o galardão deste ano, que representa um prémio de 10 mil euros. Como parte do processo de seleção, cada empresa foi convidada a encontrar-se com o júri para apresentar o produto. Além da Trevira, foi igualmente premiada a AST – Advanced Sailing Technologies pelo seu Foiling Dinghy, para foil à vela.

«O cluster de plásticos e química molda a estrutura económica de muitas áreas de Brandemburgo», destacou, durante a entrega dos prémios, Hendrik Fischer, Secretário de Estado do Ministério dos Assuntos Económicos. «Esta área é um pilar da economia de Brandemburgo. A competição pelo Prémio de Inovação mostra que Brandemburgo possui muitas empresas empenhadas, criativas e inovadoras neste sector», acrescentou, assegurando que «somente quem é inovador pode competir com sucesso».

A Trevira, que está atualmente nas mãos da Indorama Ventures e que, em Portugal, para além da sua filial local, colabora com a Rodome, produz fibras e fios para aplicações técnicas e produtos de higiene, assim como para têxteis-lar, interiores de automóveis e vestuário funcional. A empresa possui duas unidades produtivas na Alemanha, que empregam cerca de 1.100 pessoas. Em 2018, as vendas da Trevira totalizaram 235 milhões de euros.