Início Notícias Têxtil

Trio português investe na segurança

A Milipol – uma feira dedicada à segurança interna – abre as portas amanhã e conta com três nomes nacionais. Penteadora, A. Sampaio e Heliotextil reúnem-se em Paris numa iniciativa privada inédita, onde vão partilhar o mesmo stand para promoverem as suas valências em conjunto.

Se provas fossem necessárias de que a indústria têxtil nacional está mudada, a iniciativa conjunta da Penteadora, A. Sampaio e Heliotextil seria suficiente. As três empresas portuguesas decidiram participar em grupo – sem apoio de qualquer associação – na Milipol, em Paris, juntando e exponenciando o know-how de cada uma e, espera-se, provando que a união faz definitivamente a força.

«A iniciativa surge de um entendimento que existe hoje na indústria têxtil, diferente do que era há muitos anos. Primeiro, o relacionamento interpessoal e a tentativa de complementaridade. Portanto, procurarmos cultivar as nossas relações pessoais, que são sempre importantes seja qual for a área, e com isso proporcionar condições para oferecer ao cliente de cada uma das empresas um serviço ou um produto que as outras fazem e que o cliente desconhecia e procuraria noutro país», justifica, ao Portugal Têxtil, António Teixeira, diretor de vendas da Penteadora.

A produtora de tecidos laneiros esteve já na Milipol, numa participação independente, há dois anos. «Estas duas empresas acabaram também por considerar que era interessante ir e em vez de irmos cada um para o seu lado, com cada um a tentar encontrar o seu espaço, pensamos que o que fazia sentido era ter um espaço comum onde o cliente tivesse a oportunidade de ver o que é que as três empresas nacionais estavam a oferecer», afirma.

Laços reforçados

Já na última Techtextil (ver Há vida em Frankfurt), a Penteadora e a A. Sampaio tinham juntado esforços, produzindo vestuário militar em conjunto, com calças confecionadas com um tecido 50% viscose/50% aramida da Penteadora, com maior resistência ao rasgo, e uma “combat t-shirt” em malha ignífuga, leve e respirável, produzida pela A. Sampaio. Agora junta-se a Heliotextil, que vem reforçar a oferta.

«Para preparar esta visita fizemos uma reunião nas instalações da Heliotextil. Fiquei perfeitamente estupefacto com aquilo que é feito lá e, portanto, de facto isto faz todo o sentido. Se eu fiquei surpreendido e estou no país, como é que poderá ficar um francês ou um alemão quando tiver a oportunidade de contactar com esta empresa, de a visitar ou de ver quais são as propostas que estão ali a ser feitas», destaca António Teixeira, que não poupa também elogios à produtora de malhas. «A A. Sampaio faz investimentos em equipamentos, faz investimentos em laboratórios, faz investimento em desenvolvimento de produto, tem coisas fantásticas, é reconhecida na área da moda e do desporto como uma empresa de referência e, com esse know-how todo, faz todo o sentido trazê-la também para esta área de mercado e tentar juntá-la numa parceria».

Para apresentar na Milipol, as três empresas desenvolveram um novo produto, no âmbito do uniforme militar, com base na aramida da Penteadora, com uma malha retardante de chama e termorreguladora, graças a materiais de mudança de fase microencapsulados, da A. Sampaio – que é mesmo candidata aos prémios de inovação da feira – e a incorporação de eletrónica a cargo da Heliotextil, que tem desenvolvido eletrónica impressa (ver Ventos de inovação na Heliotextil).

A Penteadora é já fornecedora «de referência no mercado francês», servindo as Forças Armadas, a Polícia e a Gendarmeria gaulesa, num processo que começou em 2015 (ver A revolução da Penteadora). «Sendo uma empresa de referência no mercado, para quem se quer introduzir neste mercado porque ainda não é suficientemente conhecido, como é o caso da A. Sampaio e da Heliotextil, faz sentido associar-se a uma empresa que é conhecida e que tem já um leque de clientes. Faz sentido, quanto a nós, mostrar que, de facto, há coisas fantásticas que estão a ser feitas em Portugal», sublinha o diretor de vendas da Penteadora.

Um milhar em Paris

A Milipol reúne nesta edição, que se prolonga até sexta-feira, 24 de novembro, mais de mil expositores de 55 países, antecipando a visita de mais de 27 mil profissionais (na edição de 2015, a Milipol acolheu 949 expositores de 55 países e mais de 24 mil visitantes de 143 países).

A feira, que vai já na sua 20.ª edição e se realiza bienalmente em Paris, no Parque de Exposições de Paris-Nord Villepinte, contará na inauguração com o Ministro do Interior francês, Gérard Collomb.

Durante o certame, serão ainda conhecidos os vencedores dos prémios de inovação em cinco categorias: gestão de crise; cibersegurança; drones, anti-drones e robótica; equipamentos individuais/proteção para socorristas; e segurança de cidades inteligentes. A A. Sampaio está nomeada na categoria de equipamentos individuais e concorre com a Bertin Instruments, com o seu equipamento de vigilância portátil para visão diurna e noturna, e a Rostaing, que apresenta uma gama de luvas para deteção de metais.