Início Arquivo

Turquia impõe direitos anti-dumping às fibras sintéticas

Segundo a KOTRA – Korea Trade Investment Promotion Agency – as quotas e tarifas estão a ser progressivamente reduzidas, e os países importadores estão a intensificar o uso das taxas anti-dumping no sentido de continuar a proteger a sua indústria nacional. Por exemplo, a Turquia apenas impôs definitivamente as suas taxas anti-dumping em importações de tecidos de fibras sintéticas vindas da Coreia do Sul, Malásia, Taiwan e China. A Kotra afirmou ainda, que as taxas impostas aos produtos coreanos, poderão estar entre os 3.51% e os 40%. Os produtores têxteis da Coreia, avisaram imediatamente que poderiam pedir às autoridades de Seoul para apresentar uma queixa contra a Turquia à OMC. A Coreia é o maior exportador de fibras sintéticas, expedindo produtos de polyester para vários lugares como Hong Kong, Dubai e União Europeia. Como explicou a Korean Textile Trade Association, cerca de 230 produtores coreanos vão ser afectados pelas taxas da Turquia e 17 exportadores serão isentos das taxas desde que cooperem com as autoridades turcas. A Turquia começou a impôr as taxas anti-dumping nos têxteis e fibras químicas nestes últimos anos, após ter sido forçada a retirar as suas tradicionais barreiras como resultado da sua adesão à OMC, e ao estabelecimento de uma união aduaneira com a União Europeia. Taxas com não menos de 87% foram impostas no ano passado aos tecidos de fibras de filamentos sintéticos e artificiais da China. Em 2000, Ankara impôs também taxas anti-dumping aos fios de polyester da Índia, Taiwan e Coreia do Sul. Alguns países iniciaram medidas de retaliação. Por exemplo, a Índia impôs apenas taxas anti-dumping a fios de polyester vindos da Turquia e da Coreia do Sul. A principal ameaça vem no entanto do principal concorrente da Coreia. A China está actualmente a investigar as importações desde a Coreia, e espera-se consequentemente que imponha taxas anti-dumping em vários produtos de polyester.