Início Arquivo

UE: Análise às importações de tecidos de denim em 2004

As importações comunitárias de tecidos de denim em algodão registaram uma evolução positiva ao longo de 2004, favorecendo fundamentalmente as importações com origem na Turquia e no Brasil. Os resultados são apresentados com base na análise divulgada pelo Emerging Textiles sobre o mercado comunitário de denim em 2004.

Durante 2004, os dados comunitários vêm confirmar a Turquia e o Brasil como as duas mais importantes fontes de tecidos de denim em algodão para a UE na categoria HS 520942 (tecido de denim com pelo menos 85% do peso em algodão e com mais de 200 g/m2 fabricado com fios de cores). A Índia e o Paquistão também se encontram entre os principais fornecedores para o mercado comunitário, posicionando-se na terceira e quarta posição em termos de volume.

Turquia e Brasil como principais fornecedores

A Turquia é o principal fornecedor dos 25 Estados-membros, sendo responsável por 41,79 milhões de metros quadrados de tecido ao longo de 2004. Este volume de exportações representou um total de 109,2 milhões de euros, evidenciando uma subida de 44%, relativamente a 2003.

O Brasil continua a ser um forte concorrente posicionado na segunda posição, sendo responsável por exportar 18,4 milhões de metros quadrados de tecido. Este volume de exportações representa uma subida de 56,6% no volume registado em 2004, relativamente aos dados de 2003.

As exportações japonesas para a UE aumentaram acima dos 200% em relação a 2003 sendo o país responsável pela exportação de 3,2 milhões de metros quadrados. O Japão, assim como no caso da Itália em menor escala, está a concentrar os seus esforços em artigos de maior qualidade para exportação, originando um total de 14,3 milhões de euros de vendas para a UE em 2004.

Este valor foi atingido apesar da quebra de preços na ordem dos 19% registada no denim vendido pelo Japão em 2004. Com um preço médio de 4,41 euros por metro quadrado, os preços japoneses permaneceram mais elevados do que os outros concorrentes principais.

Uma surpresa na análise apresentada é o aparecimento do Turquemenistão cujas exportações registaram uma subida superior a 300% em termos de valor e de volume.

Proximidade geográfica é factor de decisão

De acordo com as conclusões apresentadas na análise do Emerging Textiles, a proximidade geográfica foi um elemento importante na determinação das vendas para diversos países comunitários.

A Itália importou uma elevada quantidade de tecido do seu país vizinho a Eslovénia, responsável por vendas no valor de 15 milhões de metros quadrados em 2004. Este valor colocou o pequeno país europeu na segunda posição depois da Turquia, principal fornecedor italiano com 16,7 milhões de metros quadrados.

As exportações da Eslovénia aumentaram 53,7% em relação a 2003, beneficiando também dos preços baixos, cujo valor médio encontra-se nos 1,57 euros por metro quadrado. Por outro lado, os preços turcos registaram uma subida de 23% no mercado italiano em 2004.

Marrocos também beneficiou da proximidade geográfica com a Espanha e as novas capacidades produtivas instaladas pelos produtores espanhóis ajudaram a que conseguisse registar uma subida de 58% no volume de exportações para o mercado espanhol. A Espanha absorveu um total de 7,6 milhões de metros quadrados de tecido de denim marroquino e 4,8 milhões de metros quadrados com origem na Índia e Turquia.

A Itália foi responsável por fornecer 2,4 milhões de metros quadrados para Espanha apesar da quebra nas exportações em 11%. Entre os principais fornecedores espanhóis, a Itália foi o mais caro. Os preços italianos aumentaram 14,7% de 2003 para 2004 devido à concentração na produção de maior qualidade.

A Índia e o Paquistão foram as origens mais baratas de denim para a Espanha com um preço médio de cerca de 1,30 euros por metro quadrado.

A Bélgica importou fundamentalmente da Índia e das Maurícias, que aumentaram as suas exportações em 9.500% em termos de volume em 2004.

Exportações portuguesas com desempenho variável

Portugal registou uma evolução positiva nos mercados belga e italiano, diminuindo no volume de exportações com destino a Espanha.

Nas exportações com destino a Itália, Portugal registou uma subida de 1.524,98% no volume das exportações e 203,82% no valor das exportações. O preço médio unitário do metro quadrado cifrou-se nos 2,13 euros, o que representa uma quebra de 81,30% relativamente ao valor médio de 11,39 euros registado em 2003.

No mercado espanhol Portugal posiciona-se na 12.ª posição com um volume de exportações de 337.798 metros quadrados. Relativamente aos valores de 2003 as exportações nacionais registaram uma quebra de 74,68% em volume e de 74,93% em valor. O preço médio manteve-se praticamente inalterado, registando uma quebra de 1,00% para os 1,95 euros por metro quadrado.

As exportações nacionais com destino à Bélgica também registaram um desempenho positivo, com o volume das exportações a aumentar 8,31% e o valor a registar uma subida de 57,15%. Contrariando o registado nos mercados italiano e espanhol, o preço médio dos artigos exportados para a Bélgica registou uma subida de 45,08%, cifrando-se nos 6,16 euros por metro quadrado.

Para mais informação, ver notícias no Portugal Têxtil:

Denim – o ouro turco

Mercado mundial de tecidos de ganga em análise

Mercado da ganga visto à lupa