Início Arquivo

Um luxo à portuguesa

O conceito é simples que se está a revelar bastante rentável: uma loja "on-line" que comercializa artigos de vestuário e acessórios no segmento médio-alto, para um grupo restrito de inscritos opt-in, que actualmente rondam os 40.000. Entre as marcas já comercializadas pelo clubefashion encontram-se a Levi's, Dolce & Gabbana, Puma e a portuguesa Cenoura, para citar apenas algumas. A ideia surgiu da iniciativa de três empresários portugueses que se inspiraram em projectos semelhantes espalhados por toda a Europa Central. «A ideia de criar o clubefashion nasceu através de três ex-colegas de faculdade no final de 2005, depois de termos chegado à conclusão que este era um conceito muito em voga em diversos países europeus e que contudo nunca tinha sido explorado em Portugal. Interessou-nos na medida em que este tipo de projecto permite à indústria da moda dispor de um canal adicional de escoamento de stocks e/ou promoção de novas colecções em ambiente relativamente privado, acabando por ser não só um canal de venda, mas também de divulgação e promoção das marcas e de novas peças», afirmou Miguel de Almeida Diniz, um dos sócios.Em permanente mudança e actualização todas as semanas, o clube coloca duas/três marcas em promoção durante 5 dias. Quando o faz, envia por e-mail um vídeo promocional apresentando a marca e a colecção que está à venda, conseguindo assim comunicar os valores da marca de uma forma bastante atractiva e agradável e chegar eficazmente mais longe. «Pelo facto de estar em contacto permanente com os seus membros, o clubefashion leva a marca a todos os cantos do país. Os 40.000 membros podem comprar as peças independentemente do sítio onde se encontrem, já que estas são posteriormente enviadas por CTT Expresso. A marca não necessita ter uma loja na zona para ser vendida ou comunicada. Adicionalmente, o clubefashion faculta também a possibilidade de escoar algum stock válido da temporada anterior que de outra forma seria vendido a preço substancialmente inferior», explicou Miguel de Almeida Diniz.Actualmente o clubefashion trabalha com mais de 70 marcas por estação e todas as campanhas são agendadas com alguma antecedência, para que tudo funcione perfeitamente. «Pouco tempo antes de uma campanha ser lançada, o clubefashion acorda com o fornecedor o nível de desconto a colocar em cada peça, assim como o stock disponível, levando um exemplar de cada peça para fotografar. A partir daí tudo é muito rápido: o clube responsabiliza-se pela realização dos vídeos de comunicação e pela realização do catálogo da marca. A campanha entra no ar durante 5 dias. No final deste período, o clube envia à marca o número de peças vendidas de cada referência. O fornecedor envia as peças para o armazém do clubefashion, que se nós responsabiliza pelo picking e pelo envio ao cliente final! Para o fornecedor o processo é simples, rápido e muito pouco trabalhoso!», declarou o sócio do clubefashion.Com apenas um ano de actividade, esta plataforma electrónica tem vindo a alcançar lucros viáveis. «Somos hoje provavelmente a principal base de dados opt-in em Portugal com um acompanhamento regularíssimo por parte dos membros, através de comunicações e acessos semanais ao site! Com apenas um ano de actividade, somos já das empresas on-line mais referidas no estudo da Netsonda que saiu em Fevereiro último, e tudo isto tendo em conta que o acesso ao clube é restrito!», salientou Miguel de Almeida Diniz.Tendo atingido já um patamar bastante estável em Portugal, na medida em que muitas marcas esgotam em apenas algumas horas os produtos que colocam à venda no site, o clubefashion pretende agora expandir-se internacionalmente. «Pretendemos crescer… alargar fronteiras… estender o conceito rapidamente a outros países, pelo que os fornecedores portugueses poderão, no futuro, aproveitar a sua plataforma para uma entrada ou avaliação de mercados externos», concluiu Miguel de Almeida Diniz.