Início Destaques

Um olhar sobre o futuro da estamparia digital

Sustentabilidade, resposta rápida e inovação foram alguns dos conceitos-chave das Kornit Talks, promovidas pela Tajiservi, onde a Kornit Digital apresentou novas soluções tecnológicas, mais amigas do ambiente mas que também desbravam novos caminhos para a estamparia digital.

Júlia Petiz [©Tajiservi]

O evento teve lugar na tarde do passado dia 13 de outubro nas instalações da Tajiservi e contou com uma equipa de especialistas da Kornit Digital para mostrar as tendências de mercado, assim como o portefólio de soluções da empresa, incluindo a mais recente Kornit Atlas Max para estamparia digital.

«A indústria está a mudar muito significativamente, especialmente com o advento das redes sociais e das comunidades que estão a usar as plataformas sociais disponíveis atualmente. E penso que as marcas e retalhistas têm de se adaptar muito rapidamente para responder às oportunidades e à procura que existe», começou por dizer Chris Govier, presidente para a região EMEA da Kornit Digital.

Chris Govier [©Tajiservi]
Uma mudança que a empresa especialista em estamparia digital – que em Portugal é representada pela Tajiservi – tem acompanhado de perto, desenvolvendo a tecnologia para cumprir os requisitos atuais do mercado em termos de qualidade e rapidez. A Kornit Digital tem, atualmente, cerca de 5.000 equipamentos instalados e aproximadamente 1.300 clientes em todo o mundo, 370 dos quais na Europa. «Temos vindo a crescer a cerca de 25% a 30% ao ano nos últimos três a quatro anos. Registamos um forte crescimento no nosso negócio desde a crise do covid há três anos, quando o comércio eletrónico se tornou numa parte muito importante da vida de todos nós», indicou Chris Govier.

O presidente antecipa, contudo, que o crescimento continue, sobretudo pelas mais-valias da tecnologia que a empresa oferece. «Sei que há estampadores tradicionais aqui, que fazem estamparia por quadros e outro tipo de estamparia tradicional, e isso ainda é muito válido. Não obstante, é um problema significativo para o planeta da perspetiva de desperdício, nomeadamente da utilização de recursos, poluição da água, etc.», apontou, citando ainda o armazenamento dos produtos que, por vezes, nem chegam a ser vendidos na sua totalidade. Já com a tecnologia da Kornit Digital, «vende-se e depois produz-se», salientou, além de que, no equipamento Kornit Atlas Max, «asseguramos que quando sai da linha de produção, é neutro em carbono, porque compensamos as emissões de CO2 com a plantação de árvores», revelou Chris Govier.

Negócios a crescer com a Kornit

As vantagens da estamparia digital foram, de resto, um dos temas transversais a estas Kornit Talks, com Paula Zaghetto, responsável de transformação de marcas da Kornit Digital, a fazer a apresentação das diferentes soluções da empresa, desde os equipamentos de estampagem peça a peça, para algodão e poliéster, e também em rolo.

Paula Zaghetto e Shabbir Maimoon [©Tajiservi]
Paula Zaghetto entrevistou ainda Shabbir Maimoon, diretor-geral da Snuggle Printing, um cliente no Reino Unido que usa diversos equipamentos Kornit na estamparia, que, no início do negócio, em 2011, trabalhava diretamente com o consumidor, mas que, face à dificuldade em encontrar um fornecedor de serviços de estamparia digital, acabou por decidir incorporar a tecnologia dentro de portas. «O negócio tem crescido», assumiu Shabbir Maimoon, sobretudo em termos do vestuário, já que a empresa também faz estampagem em acessórios, como capas de telemóvel. «Hoje, 90% do nosso negócio é decoração de vestuário», referiu.

Para o diretor-geral da Snuggle Printing, as grandes vantagens são a flexibilidade e a rapidez a chegar ao mercado. «Quando há um evento desportivo ou um concerto, e os clientes precisam de algo rápido, temos a possibilidade de entregar os produtos tão depressa quanto eles precisam», sublinhou. «O digital é o caminho para o futuro. Quando pensamos em coisas como sustentabilidade e ambiente e no que os consumidores exigem hoje, o digital enquadra-se perfeitamente nesse modelo», resumiu Shabbir Maimoon.

[©Tajiservi]
Mais recentemente, a empresa adicionou a Atlas Max ao seu portefólio, o que lhe permite oferecer serviços novos com a tecnologia XDi, para estampados com relevo, que podem assemelhar-se a bordados. «O feedback que temos tido dos consumidores tem sido incrível», realçou Shabbir Maimoon.

As Kornit Talks contaram ainda com a intervenção de Eyal Hartal, vice-presidente para a Europa de Customer Success, e de Ian Bell, diretor da KornitX para a região EMEA, que, através de videoconferência, apresentou à audiência a plataforma de fluxo de trabalho KornitX, uma plataforma que liga o consumidor às marcas e as marcas aos fornecedores de serviços. Com esta plataforma, explicou, uma marca consegue oferecer customização através da sua loja online e ligar a mesma ao fornecedor de serviços Kornit. Outro dos módulos do KornitX possibilita a automatização da produção de estamparia, desde que é recebido o ficheiro de personalização até o mesmo ser expedido para o cliente final.