Início Arquivo

Uma causa na moda

A revolta no Tibete estÁ a inspirar o mundo da moda da vizinha índia, com um dos designers mais conhecidos a dedicar o seu desfile num dos principais eventos de moda da índia à paz na remota região dos Himalaias. A colecção “Trailing the River Goddess” de Sonam Dubal na Semana de Moda de Lakme colheu inspiração nos três rios – Mekong, Brahmaputra e Nilo – e no papel dos mesmos enquanto berços das mais antigas civilizações. Os glaciares e montes brancos do Tibete alimentam os rios Brahmaputra e Mekong. O desfile começou com uma exibição audiovisual com a apresentação dos rios, fonte de vida e civilização – e a mensagem Um tributo ao rio da paz… pelo Tibete» foi projectada em ambos os lados da passerelle. Desde que as manifestações pacíficas se transformaram em motins em Lhasa a 14 de Março, que os protestos anti-chineses foram desencadeados noutras partes da China onde vivem Tibetanos. Apesar de não estar no centro da violência, ler sobre o assunto tocou-me profundamente», afirmou Dubal no evento de domingo passado. Esta é a minha iniciativa para espalhar a palavra de que a violência só nos leva à destruição. Sinto que todos devíamos fazer alguma coisa para espalhar a mensagem de paz nesta hora difícil para o Tibete». A chama Olímpica foi acolhida por crianças entusiastas em Pequim na segunda-feira, para o início simbólico da passagem interna e internacional do que o governo chinês esperava que simbolizasse a unidade nacional antes dos Jogos em Agosto. Em vez disso, a China encontra-se neste momento a tentar combater as críticas às suas políticas no Tibete e à sua resposta à revolta e pode enfrentar a perspectiva de semanas de protesto numa altura em que a chama Olímpica dÁ a volta ao mundo. O Tibete estÁ a sangrar e nós devíamos rezar pela paz, apesar de não sermos afectados directamente pelos seus problemas», afirmou Dubal. é de paz que precisÁmos, não de massacres sangrentos e jogos de culpa». As manequins de Dubal passaram na passerelle em cafetãs esvoaçantes, vestidos estampados à mão e casacos curtos bordados em tons de azul e castanho, num dos desfiles dos 57 designers que estão a mostrar as suas colecções Outono-Inverno na Semana de Moda de Lakme que termina hoje. Mas não são só os vizinhos que estão preocupados com a situação do Tibete. Do outro lado do Atlântico, a milhares de quilómetros de distância, a situação do povo liderado pelo Dalai Lama também suscitou uma resposta por parte do mundo da moda. O estilista brasileiro Sergio K acabou de lançar uma linha de t-shirts com a frase “Save Tibet” (Salvem o Tibete), uma edição limitada que pretende pôr os consumidores a reflectir sobre a questão tibetana. E, muito provavelmente, outros designers se seguirão, mostrando que a moda continua atenta às movimentações sociais e políticas do mundo.