Início Arquivo

Uma cidade têxtil chinesa… na Europa

A cidade de Wigan, outrora o centro da indústria algodoeira britânica, estÁ prestes a tornar-se um grande centro europeu para o comércio de têxteis e vestuÁrio com a China, considerando a apresentação dos ambiciosos planos para a construção de um centro de produção têxtil orçamentado em 125 milhões de libras esterlinas. Uma Área de 55 acres (cerca de 222.000 metros quadrados) localizada em Westwood Park, a uma milha a sul do centro da cidade, foi reservada para o projecto designado por “Chinagateway”, o qual irÁ albergar um grande número de empresas chinesas com relações comerciais com o Reino Unido e a Europa. Esta “cidade têxtil” constituirÁ o maior centro da indústria têxtil e de vestuÁrio na Europa, estando prevista a criação de pelo menos 1.000 postos de trabalho directos e mais 3.000 indirectos. O negócio foi acordado no final de Fevereiro e surge no seguimento de mais de dois anos de discussões entre o Conselho de Wigan, a Chinamex (plataforma comercial oficial do governo chinês) e a britânica Commercial Group Properties. O projecto é apoiado pela Câmara de Comércio Chinesa para a Importação e Exportação de Têxteis, que tem uma adesão de mais de 6.300 empresas têxteis chineses através da sua ligação com a Chinamex. O presidente do Conselho de Wigan, Lord Smith, congratula-se pela sua cidade voltar a estar no centro da indústria têxtil da região. Este responsÁvel refere que existem enormes benefícios em termos de postos de trabalho e salienta a importância internacional da iniciativa. A China é reconhecida como um dos principais mercados do noroeste da Inglaterra, tanto em termos de comércio quer em investimento interno. A região exportou bens no valor de mais de 360 milhões de libras esterlinas para a China em 2006, sendo responsÁvel por uma fatia de 11% do total das exportações do Reino Unido para a China. No biénio 2006/2007, a região obteve 17 investimentos de empresas chinesas, mais do que qualquer outra região do Reino Unido. O plano de negócios para o desenvolvimento inclui a criação de uma mistura de produção, marketing, armazenagem, investigação e desenvolvimento, e instalações de hotelaria e escritórios. Lord Smith refere que o projecto vai restabelecer Wigan como um grande centro de excelência para a indústria, fundamentalmente ao nível têxtil, servindo de porta de entrada aos têxteis e vestuÁrio de qualidade para os compradores comerciais de toda a Europa. Estando estrategicamente localizada, Wigan beneficia de boas ligações para as cidades de Manchester, Liverpool e Preston, para a rede de auto-estradas nacional, assim como uma ligação ferroviÁria directa para Londres e da proximidade aos aeroportos de Manchester e de Liverpool.