Início Arquivo

Uma marca em renovação

Apenas três meses após ter tomado posse como presidente e CEO dos negócios de marcas do Jones Apparel Group Inc, Richard Dickson, o novo “homem forte” do grupo, quer revitalizar a marca Jones New York à medida que a empresa entra numa nova fase de crescimento que pode incluir a aquisição de mais marcas de luxo. A primeira tarefa, segundo Dickson, passa por trabalhar numa nova campanha de marketing e publicidade para a marca de 38 anos. «Estamos na recta final para apresentar um novo plano de marketing e publicidade para a Jones», afirmou Dickson, acrescentando que «todas as hipóteses estão em cima da mesa», incluindo a possibilidade de relançamento de produtos e uma colaboração com um designer externo. Para o novo presidente, o ponto forte da marca é vender visuais para as mulheres de carreira com 45 ou mais anos, mas o objectivo passa agora por apresentar esses “looks” a mulheres mais novas. Dickson juntou-se à empresa de vestuário, calçado e acessórios proveniente da produtora de brinquedos Mattel Inc, onde geria a marca Barbie em todo o mundo. O CEO da Jones, Wesley Card, afirmou que a nomeação de Dickson tinha como intuito trazer ideias frescas e uma gestão de marca forte. Marcas como a Jones New York e Anne Klein posicionam a Jones Apparel para o espectro clássico e tradicional da moda, enquanto a Nine West está entre o clássico e o contemporâneo. «Não temos muita coisa na parte contemporânea ou de segmento mais alto», referiu Card. «Estamos a pensar na próxima fase de crescimento, a ver os espaços em branco no nosso portefólio», explicou, citando as marcas de «luxo acessível» como uma área interessante. De acordo com a Card, a empresa estava à procura de aquisições de tamanho pequeno, sublinhando que os negócios na área dos 200 milhões de dólares são «um tamanho razoável». A empresa revelou recentemente que acordou a compra da marca de calçado de designer Stuart Weitzman, com um pagamento inicial em dinheiro de 180 milhões de dólares (146,88 milhões de euros). Em Fevereiro comprou a marca de vestuário de designer Robert Rodriguez por 28 milhões de dólares. Card afirmou ainda que a empresa estaria a considerar expandir a marca Stuart Weitzman para o sportswear feminino mas que esta se pode prestar mais ao vestuário de noite. Para além das aquisições, Dickson, por seu lado, revelou que a empresa está a tentar crescer através de marcas licenciadas, da possível criação de novas marcas e pela expansão internacional. A Jones Apparel está também a testar vários formatos de lojas de calçado baptizados shoeWoo, onde vende várias das suas marcas incluindo Enzo, Angiolini, Bandolino e Rachel Roy num espaço mais amplo, em contraste com outras lojas mais pequenas e com uma única marca. Embora os resultados iniciais sejam positivos, Card indicou que quer continuar os testes. No seu primeiro trimestre, cujos dados foram revelados em Abril, a Jones registou vendas de 876,1 milhões de dólares e a empresa prevê, para 2010, que as mesmas variem entre os 3,4 mil milhões de dólares e os 3,54 mil milhões de dólares.