Início Arquivo

Uma mostra ecológica

A última edição da Pitti Filati, que decorreu de 2 a 4 de Julho em Florença, fechou as portas sob o signo do optimismo. Para Raffaello Napoleone, CEO da Pitti Immagine, a entidade organizadora, esta foi uma edição muito positiva para a Pitti Filati, especialmente tendo em conta a delicada situação económica que caracteriza actualmente o sector. No entanto, esta edição confirmou o papel fundamental da Pitti Filati como um bastião que reúne e apresenta os melhores fios italianos e estrangeiros, as empresas que melhor se centram na pesquisa e na qualidade». No total, marcaram presença 116 empresas – 94 fiações –, 29 das quais provenientes do estrangeiro, como foi o caso da portuguesa Somelos Fios. Do lado dos compradores, registou-se uma ligeira quebra em relação ao ano passado, tendo passado pelo espaço de exposição 5.527 compradores, dos quais 2.534 provenientes do estrangeiro, sobretudo de países como a Alemanha, Reino Unido, Japão, França e EUA. Esta edição da Pitti Filati deu um lugar de destaque aos temas ecológicos, com o Equo-Eco-Friendly: uma espécie de laboratório que permite aos visitantes compreender a evolução dos conceitos de natureza, ecologia, comércio justo e solidÁrio e a sua influência nos sectores do design e do vestuÁrio, em particular sobre o segmento do luxo. Este espaço, posto em cena por Ornella Bignami, considerada uma especialista do sector, propôs uma série de produtos têxteis obtidos a partir da agricultura biológica, mas também de matérias recicladas (poliéster, poliamida) e submetidas em seguida a procedimentos de tingimento e de acabamentos amigos do ambiente. De acordo com Raffaello Napoleone, o espaço atraiu criativos e gabinetes de estilo de grandes marcas e de nomes importantes do mundo da moda, como Armani, Balenciaga, Benetton, Calvin Klein, Dior, Dolce & Gabbana, Ferragamo, Gucci, Prada, Valentino e Ralph Lauren, só para mencionar alguns». O Spazio Ricerca, dedicado às tendências, pôs também o acento tónico na natureza, em particular nas suas ligações com as tecnologias, sob o nome de “Turbonatura”, numa pesquisa levada a cabo por Angelo Figus e Nicola Miller. Esta edição ficou igualmente marcada por diversos eventos paralelos. No programa constaram as festividades pelos 50 anos da Cariaggi Fine Yarns Collection e ainda a exposição baptizada “La Queue de la baleine” no museu Marino Marini: uma baleia gigante em caxemira imaginada pela artista italiana Claudia Losi, que ficarÁ agora na Icon Gallery em Birmingham. A Pitti Filati estarÁ de volta a Florença no próximo ano, de 28 a 30 de Janeiro.